Ultramen: Banda gaúcha lança seu novo álbum de estúdio, “Tente Enxergar”.

Banda Ultramen por Ricardo Lage
(Foto: Banda Ultramen por Ricardo Lage)

“Tente Enxergar” é o quinto álbum de estúdio da banda gaúcha Ultramen, e marca a volta do grupo aos estúdios após doze anos da estreia de “Capa Preta” (2006). Com influências que passam pelo rock, reggae, funk e hip hop, “Tente Enxergar” conta com a produção musical de Glauco Minossi e, segundo o tecladista Leonardo Boff, mistura todas as referências “como já é de costume dentro das receitas da banda”. Com lançamento em CD e K7 pela gravadora Hearts Bleed Blue (HBB), o álbum foi lançado hoje nas principais plataformas digitais, e em breve sairá também em LP.

 

2018 - Ultramen - Tente Enxergar

Álbum: Tente Enxergar
Lançamento: 31/08/2018
Gravadora: Hearts Bleed Blue (HBB)

Tracklist

01 – Pineal
02 – Tente Enxergar
03 – Fala por ti
04 – Felicidade Espacial
05 – Tive Tudo
06 – O chaveiro
07 – Going Crazy
08 – Hedonistas Hediondos
09 – Boom Clack (feat. Roze Rodriguez, Carla Zhammp & Negra Jaque)
10 – Robot Baby
11 – O Futuro É Amanhã
12 – A Humanidade

Ouça o álbum neste Link em sua plataforma de streaming preferida.

Veja o Clip da música “Felicidade Espacial”.

Para celebrar o lançamento do álbum, a UItramen divulgou um texto assinado pelo músico e apresentador Luiz Thunderbird. Confira abaixo.

“TENTE ENXERGAR”

(Por Luiz Thunderbird)

A banda Ultramen vem dos anos 90 e chegou à maturidade no século XXI. Levou sete anos pra gravar o primeiro disco, em 1998. Já no segundo álbum, “Olelê”, fechou a década com estilo. Eu conheci os rapazes dois anos depois, quando fizemos parte da mesma gravadora. Eu lançava “Rock’n’Roll”, com os Devotos DNSA, e a Ultramen lançava “O Incrível Caso da Música que Encolheu e Outras Histórias”. Por conta deste disco, produzido por Daniel Ganjaman, em 2002, fizemos alguns shows com as duas bandas juntas. Convivemos bastante em coletivas de lançamento e shows promocionais em emissoras de rádio e nos aproximamos.

A banda de excelentes músicos, com ideias incríveis e astral elevadíssimo, tinha tudo pra assumir o primeiro lugar na preferência popular. Estava tudo ali: hits radiofônicos, verdades, provocações, reflexões. Eu coloco aquele disco como um dos melhores daquele ano, mas a vida é assim mesmo: uma banda tem que amar muito o que faz em estúdio, no palco, nos ensaios, nos momentos difíceis e prazerosos, no convívio constante, nos picos criativos, nos impasses também. Depois de mais quatro anos, a Ultramen lançou “Capa Preta”. Isso mesmo, bom nome de disco pra esta banda que é tarja preta na medicação, faixa preta no karatê, pretos na alma, pretos no estilo, as mesmas influências que desenharam sua trajetória bacana.

Houve o momento de Tonho Crocco lançar seus trabalhos solo, de Malásia estender suas atividades na TV, um hiato com a banda. Eu ficava lamentando o fato, pois sempre gostei da Ultramen, mas fãs de verdade respeitam a caminhada. Eu sabia que eles voltariam com um disco novo pra me alimentar, pra me fazer dançar, pra me fazer cantar junto, ouvindo as músicas enquanto dirijo meu carro por São Paulo. E esse momento chegou!

Eu tive o privilégio de receber o disco novo antecipadamente. E é isso que está acontecendo. Estou saboreando cada faixa de “Tente Enxergar”. Eles estiveram no Thunder Radio Show no ano passado e mostraram algumas músicas novas. Até gravaram um videoclipe na Central 3 com participação do meu cãozinho Rickenbacker. Eu já sabia que vinha algo bom por aí. E está tudo em “Tente Enxergar”. Fica a sugestão deles: “Olhe nos meus olhos, diga o que vê. Deixe a verdade lhe falar”. O reggae, o dub, a soul music, o rap, o rock pesado, o funk, a Ultramen!

Prevejo sucesso nas rádios de verdade, nas web rádios, com certeza! Tem música pra dançar, pra cantar junto, pra se emocionar, pra festa, pra pista, pra mostrar pros amigos. Pra mostrar pra pessoas que a Ultramen está de volta pra nos divertir, nos entreter, nos fazer levantar da cama de manhã, pra colocar “Tente Enxergar” pra começar bem o dia.

Obrigado, amigos. Minha turma gaúcha de super-heróis! Viva Ultramen!

Conheça mais sobre a “Ultramen” nas redes sociais

https://www.instagram.com/bandaultramen
https://twitter.com/ultramenoficial

 

(Fonte: Hearts Bleed Blue)
——————————————-
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Remate: Banda cearense “Remate” lança seu primeiro EP.

Banda Remate por Jean Ribeiro
(Foto: Banda Remate por Jean Ribeiro)

Reflexões individuais, engajamento social e a energia das relações em um contexto urbano e tecnológico. Esses são alguns dos temas abordados pelo grupo cearense Remate em seu primeiro trabalho autoral, autointitulado, lançado neste mês, nas plataformas de streaming.

Formada em 2017 por Daniel Gadelha (Voz), Álvaro Abreu (Bateria), Jonas Monte (Baixo) e Sérgio Theophilo (Guitarra), a Remate aposta na mistura de suas diversas influências: que vão desde bandas de rock internacionais, como Queens of The Stone Age, Incubus e Deftones, até a poesia engajada nacional de Chico Science, Marcelo Yuka e Chico Buarque. O resultado é um som intenso, que intercala climas atmosféricos com distorções poderosas, aliado a letras fortes, reflexivas e contestadoras. Graças a isso, o quarteto fechou parceria com os selos baianos Brechó Discos, Big Bross Records e São Rock Discos.

“Remate”, o EP, foi gravado e produzido por Matheus Brasil, do Projeto Rivera, no estúdio Salaquar, e possui seis faixas. Seja Como For, que já havia sido apresentada anteriormente ao público, em formato de lyric video, inicia o disco de forma bem direta, com um refrão que fica na cabeça de cara. Sua letra fala sobre liberdade de escolhas e a quebra de padrões sociais impostos: “A música fala sobre o questionamento e a ruptura com esses modelos sociais, comportamentais e de consumo, que escravizam a liberdade do pensamento. Ao renunciarmos um determinado plano, descobrimos um novo horizonte, com novas escolhas”, conta Daniel, que além de vocalista é o principal compositor do grupo.

A energia segue alta com Deixa Estar, que mostra um panorama sobre a cultura das redes sociais, evidenciando a rasa relação humana nesse mundo tecnológico, aliada à falta de empatia, futilidade e a ignorância da não reflexão sobre o coletivo. Para Daniel, “deixar estar não é acomodação, é largar da comodidade da paisagem comum, conviver com os diferentes, mas fincando o pé em sua verdade, sua busca e sua justiça”.

A terceira faixa, Veja, fala de superação. Um apelo sobre olhar para dentro de si: “Apesar do peso e do andamento mais lento, ela traz uma mensagem bem positiva, de que é possível nos recuperarmos mesmo após as diversas dificuldades que a vida nos apresenta”, explica o baterista Álvaro.

Encalço, música mais pesada do disco, parte da famosa provocação que existe em “dar a outra face”. Fala da resistência humana em admitir o erro como uma oportunidade de ressignificação e crescimento, fazendo um diagnóstico dessa resistência. De como ela é responsável pela nossa incapacidade de negar o ciclo vicioso e o “efeito manada” que nos empurra, nos forçando a ser pessoas que não somos.

Espelho traz um tema incomum, porém muito interessante: transporta o ouvinte para a cabeça de um pai, com todas as suas inseguranças e esperanças em relação ao seu filho. É uma visão sobre a evolução da personalidade, da maturidade, e sobre os efeitos da paternidade em uma via de mão dupla entre pai e filho, como num espelho. Um punhado aleatório de sentimentos, bagunçados, recortados e por vezes angustiantes, mas que tem por beleza a incondicional capacidade de serem refeitos e refeitos…

Por fim, O Curso do Rio explora a metáfora do tempo, ao retratar um eu lírico que, ao perceber que seu fim está próximo, analisa toda a sua trajetória, encontrando sua paz no final: “Em ‘Curso do Rio’, falamos sobre a capacidade de enxergar os ciclos da vida, recolher o que sobrou de bom e retornar ao início. Entender o cansaço, a alegria, a força para continuar em movimento e a felicidade de saber que sempre recomeçaremos melhores e mais atentos. O rio foi, é, e ainda será”, afirma Daniel.

Apesar de estreante, a Remate chega ao cenário com certa bagagem, já que todos os seus integrantes já passaram por projetos de destaque na capital cearense, como as bandas Os Ultraleves, Sátiros, Superface e Redoma. Com o disco no ar, o quarteto pretende se firmar no cenário musical, tanto local, quanto nacional.

2018 - Remate - Remate EP

Álbum: Remate (EP)
Lançamento: 10/08/2018
Gravado e Produção: Matheus Brasil, no estúdio Salaquar.
Mixagem e Masterização: Matheus Brasil.
Arte da Capa: Daniel Gadelha e Álvaro Abreu.

Tracklist

01. Seja Como For
02. Deixa Estar
03. Veja
04. Encalço
05. Espelho
06. O Curso do Rio

Ouça o Álbum no Spotify.

Veja o “Lyric video da música “Seja Como For”.
https://canaldorock.com.br/nova-musica-remate-seja-como-for/

Conheça mais sobre a “Remate” nas redes sociais.

https://twitter.com/rematebanda
https://www.instagram.com/rematebanda/
https://www.facebook.com/rematebanda
https://rematebanda.bandcamp.com
https://www.deezer.com/en/artist/102930

____________________________________________

(Fonte: Álvaro Abreu, Músico e Produtor da Remate)
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Dínamo: A banda curitibana lança “Origens”, seu primeiro “full álbum”.

Banda Dínamo por Eugenio Gabrihel
(Foto: Banda Dínamo por Eugenio Gabrihel)

A banda de hardcore curitibana Dínamo lança “Origens”, seu primeiro full álbum, pelo selo e gravadora Forever Vacation Records. Formado por Deléo no vocal, Dudu no baixo, Biano na bateria e Karacol na guitarra, o quarteto apresenta um som mais maduro do que seus trabalhos anteriores. São 11 faixas produzidas por Alexandre “Capilé” Zampieri. “Imprevisível” ganha lyric vídeo e os shows de lançamento acontecem dia 18 de agosto, em Curitiba, e 25 de agosto, em São Paulo.

“Nossos EPs anteriores não eram de hardcore. A pegada era mais rock’n’roll, então vejo como uma mudança enorme, pois mudamos de gênero. Todos os integrantes da banda vieram da cena do hardcore. É o que a gente mais escuta, é o rolê que a gente frequenta… Então considero isso como um retorno à nossa zona de conforto, e por isso o nome do álbum é ‘Origens’. É o nosso reencontro com o que a gente sempre amou fazer”, explica Karacol.

2018 Dínamo Origens

Álbum: Origens
Lançamento: 10/08/2018
Gravadora: Forever Vacation Records
Produção: Alexandre “Capilé” Zampieri

Tracklist

01 – Progresso
02 – Imprevisível
03 – Não Tem Final
04 – Origens
05 – Finjo Que Sei
06 – Chapar e Viver
07 – Pessoa Certa
08 – Ela
09 – Não Somos Daqui
10 – Enquanto Eu Puder
11 – Pequenos Demais

Ouça o álbum neste Link em sua plataforma de streaming preferida.

Veja o Clip da música “Imprevisível”.

Conheça mais sobre a “Dínamo” nas redes sociais

https://www.facebook.com/dinamorockoficial
https://www.deezer.com/en/artist/50034972
Site: http://dinamorock.com/

Shows de lançamento do álbum “Origens”.

CURITIBA
Data: 18 de agosto, sábado, Das 18h às 23h59.
Local: Fuzz Studio: Rua Jaime Veiga, 35 – Seminário (Curitiba-PR)
Bandas: Dínamo, Colaterall e Confirm
Ingressos: R$12,00 https://www.sympla.com.br/dinamo—lancamento-do-disco-origens-no-fuzz-studio__330592
Censura: 18 anos Evento: https://www.facebook.com/events/315549419018398/

SÃO PAULO
Data: 25 de agosto, sábado. das 20h às 23h55.
Local: stúdio Costella, Rua Aimberê, 1981 – Perdizes (São Paulo-SP)
Bandas: Dínamo e Hateen
Ingressos: R$ 30,00 https://www.sympla.com.br/hateen–dinamo-no-costella__337732
Censura: 18 anos

(Fonte: Letícia Tie, Assessoria de Imprensa)
——————————————-
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Radio Front: A banda carioca lança seu álbum de estreia, “Into the Rain”.

Radio Front, Divulgação
(Foto:Radio Front, divulgação)

Mesclando influências pessoais como uma rádio a sintonizar frequências diferentes, a banda carioca Radio Front lança seu álbum de estreia, “Into the Rain”. O trabalho reúne faixas com contornos diversos do rock alternativo, do grunge, do stoner com momentos que se aproximam de vertentes tão diferentes entre si como o hardcore e o metal, e os músicos fazem isso sempre evidenciando os fortes riffs de guitarra e o um vocal arrebatador. A masterização do registro foi feita em Seattle (EUA), por Chris Hanzsek.

“Into the Rain” surge como uma tempestade na cena brasileira. A banda, que iniciou a carreira nos subúrbios do Rio de Janeiro, traz criatividade e paixão em cada faixa, e rompe barreiras ao compor todas as músicas exclusivamente em inglês. “My Body” abre o disco com prontidão. Primeiro single da carreira, a canção foi produzida por todos os integrantes e composta pelo vocalista Felipe Nova e o guitarrista Victor Larcher. A música passa um sentimento de sexualidade, sem gênero definido, e fala sobre explorar o corpo e as sensações que ele pode proporcionar. A seguinte, “Candle Hope”, conversa com a solidão e os momentos vividos por aqueles que não têm esperança.
“Wake me With Your Call” é uma power ballad roqueira que se apropria da vibe vintage dos anos 90. Da mesma forma, “Cut My Wings” evoca a raiva dos acordes grunge, unindo a força dos instrumentos com a letra poética e crítica.
O álbum também se destaca pelas composições marcantes. Exemplo de “After Glow”, que fala sobre um estado de expansão da consciência, os caminhos traçados e o combate aos próprios demônios. A eletrizante “Gravity” e a tensa “Black Soldier” se completam de diferentes formas: a primeira rápida e intensa e a segunda mais lenta e carregada.
Essa última faixa abre um novo ato com “Into the Rain pt 1” e “Into the Rain pt 2”, que destacam as linhas de baixo de Marcelo Moreira. As duas faixas trazem um sentimento de luto. A euforia apaixonante de “Heartburn” e a tristeza de “Wonder” mostram os dois lados da paixão, o estar apaixonado e o fim repentino. Por fim, “In My Room” finaliza o registro com arranjos mais encorpados e influências do punk.

2018 - Radio-Front - Into The Rain

Álbum: Into The Rain
Lançamento: 10/08/2018
Masterização: Chris Hanzsek
Produção e Mixagem: Luiz Freitag e Jon Marques, da Musark

Tracklist

01 – My Body
02 – Candlehope
03 – Wake Me with Your Call
04 – Cut My Wings
05 – Afterglow
06 – Gravity
07 – Black Soldier
08 – Into the Rain, Pt. 1
09 – Into the Rain, Pt. 2
10 – Heartburn
11 – Wonder
12 – In My Room

Ouça o Álbum no Spotify ou neste Link em sua plataforma de streaming preferida.

Veja o Clip da música “Wake Me With Your Call”.

Radio Front é:

Felipe Nova (voz)
Victor Larcher (guitarra)
Bruno Moreira (guitarra)
Marcelo Moreira (baixo)
Leonardo Bourseau (bateria)

Conheça mais sobre a “Radio Front” nas redes sociais

https://twitter.com/radiofrontband
https://www.facebook.com/Radiofrontoficial
https://www.deezer.com/br/artist/7947442
Site: http://radiofrontband.com/

(Fonte: Nathália Pandeló Corrêa, Assessoria de Imprensa)
——————————————-
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Malabaristas de Semáforo: A banda carioca lança “Lado B”, seu álbum de estreia.

O trio carioca Malabaristas de Semáforo mostra a potência de seu rock sem firulas e direto ao ponto no álbum de estreia, “Lado B”. O trabalho entrega uma banda já experiente pelos cinco anos de estrada, ao mesmo tempo que olha para o panorama atual e explora temáticas sociais, políticas e culturais. O disco, com 10 faixas e produção de Celo Oliveira, já está disponível nos principais serviços de streaming, em um lançamento do selo Caravela.
Formado por Fabrício Cardozo (bateria), Pedro Grisolia (guitarra) e Cleber ST (voz e baixo), o Malabaristas de Semáforo é a união de três novos talentos do rock brasileiro: o baterista incontrolável; o guitarrista prodígio e o músico e letrista inquieto por vocação.

Malabaristas de Semáforo por Laura Grisolia(Foto:Malabaristas de Semáforo por Laura Grisolia)

O título do álbum remete não apenas a um lado oposto, mas também ao espontâneo, autêntico e intrínseco. Estampando essa ideia na arte de capa, a banda aponta para o seu lado mais “alternativo” e menos comercial, indo na direção contrária da indústria que, desde os LPs e cassetes, privilegia os singles e canções mais radiofônicas, em detrimento das demais. Nesse caso, o lado B é a verdadeira essência da Malabaristas de Semáforo.
“O conceito do álbum foi explorar nossa diversidade sonora, a sinceridade de composições simples, num paralelo a uma viagem de montanha russa – alternando momentos de tensão e adrenalina com momentos de calmaria e alívio, numa simultânea busca por reflexão através de letras secas e diretas”, define o vocalista, baixista e fundador da banda, Cleber ST.
Essa viagem começa pelo single “Tédio”, que tem em sua letra um jeito de tarde de domingo, em contraste com a sonoridade embalada pelo stoner rock. A canção foi a primeira do álbum a ganhar um vídeo. Em seguida, “Homem Invisível” aborda a sensação de não-pertencimento quando não se tem voz. Ela abre as portas para “Normose”, single mais recente que denuncia a inércia diante dos comportamentos ditados responsáveis por eliminar originalidade e individualidade. A faixa ganhou um lyric video que traz cenas de um cotidiano controlado.
Essa noção de manipulação e alienação segue em “Feno”, remetendo à domesticação, à letargia de quem se alimenta das mesmas fontes sem questioná-las. A única solução é “Vamos Pra Rua Lutar”, no espírito de decepção com o sistema e da vontade de virar o jogo. “Mais” traz a noção de que a ganância nos cega para as coisas livres e simples da vida. “Sua Sorte” promove a ideia de ser protagonista da sua própria jornada do herói, enquanto “Anônimo” desconstrói a importância do indivíduo diante da sociedade. “Pretérito Perfeito” é um olhar no espelho e o entendimento de que desistir não é uma opção, encerrando com “O que for”, aconteça o que acontecer.

Veja o clip da Música “Tédio”.

 

https://i2.wp.com/canaldorock.com.br/wp-content/uploads/2018/07/2018-Malabaristas-de-Semáforo-Lado-B.jpg?w=860&ssl=1

Álbum: Lado B
Lançamento: 20/07/2018
Gravado no Kolera Homestudio
Mixado e masterizado por Celo Oliveira
Produzido por Celo Oliveira e Cleber ST

Tracklist
01.Tédio
02.Homem Invisível
03.Normose
04.Feno
05.Vamos Pra Rua Lutar
06.Mais
07.Sua Sorte
08.Anônimo
09.Pretérito Perfeito
10.O Que For

 

Ouça o Álbum no Spotify.

Neste Link, você pode ouvir o álbum em sua plataforma de streaming preferida.

Conheça mais sobre “Malabaristas de Semáforo” nas redes sociais.

https://www.instagram.com/malabaristasdesemaforo/
https://www.facebook.com/malabaristasdesemaforo
https://www.youtube.com/channel/UC3YibAIqp7kud5wg6nfZMuw
Site: https://www.malabas.com/

 

(Fonte: Nathália Pandeló Corrêa, Assessoria de Imprensa)
——————————————-
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

“Hardcore Por Um Mundo Mais Digno Fest” chega à 3ª edição.

Festival, organizado pelo Escombro, do cast da Artico Inc, une música e solidariedade neste sábado, 7, no “Jai Club” em São Paulo.

Banda Escombro por Jow Head
(Foto: Banda Escombro por Jow Head)

A música engajada em causas sociais rompe as barreiras entre palco e plateia no Hardcore Por Um Mundo Mais Digno Fest, que chega à terceira edição neste sábado (7/7), em São Paulo. A anfitriã Escombro terá a companhia dos parceiros do selo Artico Music, Institution, mais Fim da Aurora, Never Look Back e Santa Morte. O evento acontece a partir das 16 horas, no Jai Club.

A entrada custa R$ 12 mais um quilo de alimento, que serão integralmente doados à ONG Associação Grupo Sol, da capital paulista. O festival também será ponto de recolhimento de agasalhos e roupas, que reforça ainda mais o caráter beneficente. As primeiras 20 pessoas que entrarem no fest ganharão um CD do EP do Escombro.

“O hardcore consciente não pode parar”, afirma o baterista do Escombro, Felipe Felipeles, uma referência direta ao que se pode chamar de premissa da banda paulistana que recém lançou o EP Eutanásia Social, sucessor do debut homônimo. O Escombro é tão compromissado com o hardcore como às causas sociais, com críticas ácidas à corrupção, conformismo e descaso.

O Hardcore Por Um Mundo Mais Digno Fest foi criado para o Escombro lançar o disco de estreia, e o resultado, conta Felipe, foi acima do esperado. “Resolvemos manter a ideia e o nome. Na segunda edição, mesmo sem material novo para lançar, pegamos o gancho do lançamento do último álbum do Paura, Slowly Dying of Survival”.

Agora, na terceira edição, o quarteto faz o show oficial do lançamento do EP e do novo merch. Mas não é só isso. “Vamos aproveitar a ocasião para gravar duas músicas ao vivo, para um futuro lançamento”, adianta Felipe. No Jai, durante o festival, haverá ainda sorteio de um kit com uma camiseta e um CD de cada uma das bandas que se apresentarão no 3º Hardcore Por Um Mundo Mais Digno Fest.

Banda Institution por Camila Fontana
(Foto: Banda Institution por Camila Fontana)

INSTITUTION – Representando o selo Artico Music ao lado do Escombro, o Institution e seu hardcore metalizado com letras cantadas em português fará apenas o segundo show em 2018. A ausência nos palcos, explica o guitarrista Fábio Pereira, é devido ao processo de composição de novas músicas. “Estamos muito focados no disco novo. Vamos tocar agora, mas pode ser difícil nos ver tocar tão cedo”. A novidade da banda para o 3º Hardcore Por Um Mundo Mais Digno Fest é que terá música inédita no setlist, intitulada ‘Frêmito’.

3º Hardcore Por Um Mundo Mais Digno Fest

SERVIÇO

3º HARDCORE POR UM MUNDO MAIS DIGNO
Evento: https://www.facebook.com/events/1867071340254281
Data: 7 de julho de 2018
Horário: a partir das 16 horas
Local: Jai Club
Endereço: Rua Vergueiro, 2676 – Vila Mariana
Ingresso: R$ 12 + um quilo de alimento (ingresso sem alimento: R$ 20)
Informações: (11) 98013-0425

 

(Fonte: Erick Tedesco, Assessoria de Imprensa)
——————————————-
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Circadélica 2018 – Festival acontece nos dias 28 e 29 de julho, em Sorocaba-SP.

A edição de 2018 do festival de música Circadélica acontece nos dias 28 e 29 de julho, em Sorocaba-SP. Nessa terceira edição, o evento contará com 28 bandas/artistas de expressão nacional e de variados estilos.

Circadélica 2018 Line Up

Line up:

Sábado: TROPKILLAZ | FLORA MATOS | FRESNO | SELVAGENS À PROCURA DE LEI | ZANDER | MENORES ATOS | PARAMETHRIK | TAGORE | MY MAGICAL GLOWING LENS | JONNATA DOLL E OS GAROTOS SOLVENTES | BIKE | DEB AND THE MENTALS | MIÊTA | FONES

Domingo: EMICIDA | O TERNO | VANGUART | JALOO | A BANDA MAIS BONITA DA CIDADE | ZIMBRA | BENZIÊ | BALEIA | E A TERRA NUNCA ME PARECEU TÃO DISTANTE | GORDURATRANS | HIEROFANTE PÚRPURA | KILL MOVES | SKY DOWN | OS PONTAS

Vídeo “line-up” 2018

O line up abrange rock, indie, rap, pop, hardcore, emo, shoegaze, eletrônico e nova MPB. “A definição demorou um pouco. Gosto de pensar bastante, como se estivesse escolhendo as músicas para uma pista de dança. No fim chegamos a um resultado que nos agradou bastante”, conta Mario Bross, um dos organizadores do festival.

A primeira edição do Circadélica aconteceu em 2001. O retorno do festival, no ano passado, recebeu cerca de 7 mil pessoas e nomes de peso, como Liniker e os Caramelows, Kamau, Francisco El Hombre, Vivendo do Ócio, Boogarins, Dead Fish e Far From Alaska. Além das atrações musicais, o espaço contará com diversas lojas, food trucks, dois palcos, tatuadores e artistas circenses interagindo com o público. O Asteroid, conhecida casa de shows da cidade, também receberá eventos ligados ao festival.

Nos links abaixo você encontra informações sobre o local, ingressos, programação e tudo mais.

Site: http://circadelica.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/circadelica/

——————————————-
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

1 2 3 4