“Carbônica” une rock de garagem e realidade política brasileira em álbum de estreia.

(Foto: Banda Carbônica, por Isabelle Andrade)

Incendiar o debate político e social por meio do rock ‘n’ roll é um dos objetivos do power trio Carbônica. Com mais de 10 anos de estrada, a banda celebra sua jornada com um álbum que analisa os últimos anos da realidade brasileira e foca no futuro através de riffs poderosos e letras provocadoras. “Carbônica” já está disponível nas plataformas de música digital.

Fundado em 2007 na cidade de Guarulhos, o trio é formado atualmente por Will (guitarra e vocal), Vini (baixo e sampler) e Alex (bateria) e, desde o início da sua trajetória, assumiu o compromisso com uma cena independente ativa e acessível, mantendo um olhar para a realidade urbana e periférica que reflete nas letras do disco.

Os acontecimentos da política no Brasil, os problemas de manutenção das barragens de mineradoras, respeito a minorias e busca por uma cidade mais acessível se tornaram bandeiras da banda e se mostram mais atuais do que nunca no álbum de estreia, que reúne faixas dos EPs lançados nos últimos anos e cinco músicas inéditas. Tudo isso embalado por uma roupagem que vai do disco-punk ao “drum and bass”, do blues ao garage.

“Nós acabamos de completar 10 anos de estrada e as 10 músicas desse álbum são o retrato dessa trajetória, que é fazer rock com tesão, se divertir e expor nossas verdades através do nosso trabalho artístico”, conta o guitarrista e vocalista Will.

Álbum: Carbônica
Lançamento: 15/03/2019

Tracklist

01 – Inflamável
02 – Se a Cidade Parar
03 – Sangue
04 – Agora Eu Te Bebo
05 – Augusta
06 – Você Quer Pecar
07 – Lama
08 – Loucura
09 – Quem Nunca
10 – Até No Caos

Clique aqui, e ouça o álbum na sua plataforma de streaming favorita.

Veja aqui, o clip da música “Até no caos”.

Conheça mais sobre a banda “Carbônica” nas redes sociais:

Site: http://www.carbonica.com.br/
YouTube: https://www.youtube.com/user/carbonicarock
Instagram: https://www.instagram.com/carbonicarock/
Twitter: https://twitter.com/bandacarbonica

(Fonte: Daniel Pandeló Corrêa, assessoria de imprensa)
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

A banda cearense “Mad Monkees” lança o EP “Guerra”.

(Foto: Banda Mad Monkees, por Daniel Mangualde)

A banda cearense Mad Monkees estreia na Abraxas Records com o EP Guerra, já disponível nas plataformas de streaming. São três faixas de um roque repleto de riffs e batidas fortes, com referências de stoner e hard rock.

Produzido por Klaus Sena, o EP composto por Felipe Cazaux (guitarra/voz), Renan Maia (baixo), Capoo Polacco (guitarra) e PH Barcellos (bateria) sucede o autointitulado disco de estreia, então produzido pelo lendário Carlos Eduardo Miranda e pelo renomado Rodrigo Sanches. Teve, neste meio tempo, o single Are You Going Mad?, com a participação de Cris Botarelli (Far From Alaska), e teve ótima recepção do público da banda.

Sete foi o primeiro single de Guerra. Lançada perto das eleições, a música – a única em português – traz uma crítica aos privilégios dos políticos brasileiros. “O single faz uma analogia entre os pecados capitais e as regalias dos políticos e os seus direitos adquiridos, enquanto o povo perde direitos trabalhistas e vive na lama”, explica o vocalista e guitarrista Felipe Cazaux.

O primeiro álbum da banda, o “Mad Monkees”, figurou em nossa lista de melhores álbuns do rock nacional de 2017, confira aqui.

Veja também, outros vídeos da banda Mad Monkees divulgados aqui no canal.

Álbum: Guerra (EP)
Lançamento: 22/03/2019

Tracklist

01 – My God (Doesn’t Care About Your Stuff)
02 – 7
03 – Bomb and Fire

Clique aqui, e ouça o EP na sua plataforma de streaming favorita.

Conheça mais sobre a banda “Mad Monkees” nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/madmonkees/
Twitter: https://twitter.com/mad_monkees

(Fonte: Erick Tedesco, assessoria de imprensa)
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

“The Mönic” lança videoclipe para primeira faixa de álbum inédito.

(Foto: Banda The Monic, por Marcelle Stavale)

Os primeiros segundos de “Mexico” já indicam que se trata de um garage rock: guitarras distorcidas, bateria marcante e baixo que dá ainda mais peso ao som. Quando a vocalista e guitarrista Alê Labelle entoa os primeiros versos a presença feminina logo aparece, remetendo a outras bandas do gênero que possuem suas frontwomen. Analisando a formação do The Mönic, porém, percebe-se que no grupo o papel das mulheres é total e muito além de posições pré-definidas — um exemplo de que não há limitações para o protagonismo feminino na cena. Assim, a banda disponibiliza hoje (22) o primeiro single do álbum “Deus Picio”, que será lançado pela Deck. A faixa também conta um criativo clipe protagonizado pelas artistas e seus amigos.

A letra do lançamento aborda o relacionamento entre pessoas que se gostam, mas têm medo de criar maiores laços afetivos ou externalizar seus sentimentos. Além de Alê, Dani Buarque (guitarra e voz), Joan Bedin (baixo e voz) e Daniely Simões (bateria) formam o The Mönic e tocam na faixa, de andamento rápido e refrão marcante. “‘Mexico’ nasceu de um riff despretensioso que inventei no intervalo de um ensaio, uma brincadeira. Não havia visto nada demais nele, mas a Dani (Simões) falou que daria uma ótima música e fez questão de criar uma linha de bateria e de que trabalhássemos aquilo. Na hora de finalizarmos a demo do disco, essa composição estava sem letra; a Alê então escreveu uma letra de amor. Achamos uma combinação muito interessante, pois é a faixa mais pesada do álbum ao mesmo tempo que é uma das únicas que aborda temas amorosos”, explicou Dani Buarque, garantindo que a insistência da baterista em trabalhar a canção foi essencial.

O videoclipe do single, dirigido por Mateus Brandão, brinca com seu título, e simula uma novela mexicana em tom de sátira e bom humor. As garotas — responsáveis pelo roteiro — interpretam diferentes esposas e namoradas que se juntam para um jantar acompanhadas dos companheiros. Ao longo da noite, porém, surgem intrigas que levam a uma série de brigas e traições. A trama também critica a busca pela manutenção das aparências e o falso moralismo. Toda a fotografia e os efeitos do vídeo remetem às novelas, com o estilo e tomadas típicas do gênero que se popularizou na televisão brasileira nas décadas de 90 e 2000.

Veja o Clip da música “Mexico”.

Conheça mais sobre a banda “The Mönic” nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/themonicband/
Instagram: https://www.instagram.com/TheMonicband/
YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCYFqWqzK77U8C7VmbyHfnnQ

(Fonte: Batucada Comunicação)
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Novo Clip = “O Inimigo – Sempre Perigosa Sem Piedade (SP)”

Artista: O Inimigo
Álbum: Contrariedade (2019)
Música: Sempre Perigosa Sem Piedade (SP)

O terceiro álbum da banda “O Inimigo” se chamará “Contrariedade” e será lançado dia 17 de maio de 2019 pela Hearts Bleed Blue (HBB). O primeiro single desse novo álbum se chama “Sempre Perigosa Sem Piedade (SP)”, e o videoclipe traz imagens da cidade de São Paulo captadas por André Calvente e editadas por Fernanda Lira. A música fala sobre o dia-a-dia de viver em uma cidade “caótica e cruel” e a relação de amor e ódio com o lugar onde vivemos.

“Contrariedade” é o primeiro registro da banda com o vocalista Wellington Marcelo, que substituiu Alexandre Fanucchi em 2016.

A Banda

O Inimigo se define como um grupo formado por amigos com sede de música, e carrega na bagagem, além de uma demo lançada em 2002, os álbuns “Cada Um em Dois” (2003) e “Imaginário Absoluto” (2012), e os EPs “Todos Contra Um” (2006), “Personalidades Plásticas” (2013), “Desaba” (2015) e “Inner Ear Session” (2018).

Segundo o guitarrista Juninho Sangiorgio, a banda, que iniciou suas atividades em 2001, é resultado da amizade entre seus integrantes e da crença no hardcore. “Vivemos isso intensamente e a banda expõe nossa postura. Acreditamos que através da música vidas podem ser mudadas e vivemos num meio onde existem alternativas reais para escapar da realidade dura que o sistema nos confina”.

A atual formação da banda, conta com Juninho Sangiorgio, Fernando Sanches, Gian Coppola, Alexandre Cacciatore e Wellington Marcelo.

(Fonte: Hearts Bleed Blue)
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Radical Karma lança EP de estreia, “Entre o Fim e o Começo”.

(Foto: Banda Radical Karma / Instagram / Divulgação)

Radical Karma tem em sua formação membros com larga experiência sobretudo no cenário punk rock/hardcore, mas que nele se aprofundam em outro universo, ainda que as raízes estejam fincadas, inevitavelmente, no underground. Após o lançamento de dois singles, com excelente repercussão, o quarteto enfim lança o EP “Entre O Fim E O Começo”.

Álbum: Entre O Fim E O Começo (EP)
Lançamento: 22/03/2019

Tracklist

01 – Ainda Bem Que Decidiu Ficar
02 – Âmbar Báltico
03 – Referente Ausente
04 – Sinto Muito Que Não Sinta Nada no Fim

Clique aqui, e ouça o EP na sua plataforma de streaming favorita.

Gabriel Zander [voz], Fausto Oi [baixo], Mateus Brandão [guitarra] e Fernando Martins [bateria] se encontraram entre janeiro e dezembro de 2018 e sorrateiramente para ensaios no Estúdio Porto, e sem fazer alarde gravaram um EP com quatro faixas.

A produção é assinada por Philippe Fargnolli [CPM22, Reffer, ex-Dead Fish] e todo o processo foi feito no Estúdio Costella, na capital paulista onde o grupo reside.

Assim como o recorte de um diário, o EP “Entre O Fim E O Começo”, lançado pela Flecha Discos, é repleto de sentimentos que são exteriorizados por meio de causas e efeitos, embalados com um toque melancólico natural e uma melodia espontânea.

A abertura com “Ainda Bem Que Decidiu Ficar”, tem clima pungente, a tensão da letra [e narrativa intensa e envolvente] é refletida na solidez da base e dos riffs.

As canções parecem extensões de experiências vividas e que de alguma forma se conectam e formam um momento de superação – de extremos, do [quase] decesso à celebração a vida.

“Ambar Báltico” é terapêutica, ela aquece e acalma. A princípio emana angústia, desejo por proteção, mas que ao poucos se transforma em um grito de libertação, do anseio à exteriorização: “e doa a quem doer, não deixe de viver; e doa a quem doer seja sempre você”. Já existem planos para a produção de um clipe que ficará a cargo dos irmãos Luca e Davide Bori, da banda soteropolitana Vivendo do Ócio.

O rock alternativo, aquele à margem entre o indie e o mainstream de nomes como Smashing Pumpkins, Pixies e Seaweed, paira entre as referências. Não há uma cartilha a ser seguida, mas alguns dos ensinamentos marcam presença nas entrelinhas.

Assertivas defendidas pela escritora americana Carol J. Adams, autora de “A Política Sexual da Carne” – onde ela denuncia a cultura dominante viril-carnista e toda a opressão arraigada – reverberam em “Referente Ausente”. Na contramão da seriedade do tema, leveza e calmaria na harmonia, um ode pacifista-ativista tal qual a simplicidade de valores do indiano Mahatma Gandhi.

Toda a identidade visual do RK ficou nas mãos da designer e ilustradora Camila Rosa, de Joinville [SC]. Ela vem despontando com sua arte de resistência, onde não poupa cores e mensagens de empoderamento feminino.

Sonoramente a banda traz energia acumulada ao longo de décadas de estrada e o desejo de produzir material de qualidade, “Sinto Muito Que Não Sinta Nada” reflete isso e encerra o EP com a rispidez de quem se encontra em estado de aflição diante da apatia de outrem.

Da bagagem anterior, o Radical Karma carrega a vivência do it yourself e a vontade de tocar em todos os cantos possíveis, de clubes pequenos a grandes festivais espalhados pelo Brasil. O material, que futuramente se juntará a um outro EP e formará um disco cheio, já está disponível nas plataformas digitais. Este é só o começo!

Conheça mais sobre a banda “Radical Karma” nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/oradicalkarma
Instagram: https://www.instagram.com/oradicalkarma/
YouTube: https://www.youtube.com/channel/UC66IHoNPdx2aTxwvGL1V_pg

(Fonte: Erick Tedesco, assessoria de imprensa)
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Acústico Drive: “My Freedom” é o 1º single da banda de Campos dos Goytacazes/RJ”.

Banda Acústico Drive / Divulgação
(Foto:Banda Acústico Drive / Divulgação)

A Banda Acústico Drive é uma banda de Campos dos Goytacazes, no estado do Rio de Janeiro. Surgiu em 2010, com a idéia de fazer um trabalho de pop-rock tendo à frente um vocal feminino. Hoje, quase 10 anos depois, a Acústico Drive ressurge no cenário do Pop e do Rock com nova formação: Lúcio Magno, na guitarra e backing vocal, Diego Mendes na bateria, o bassman David Rocco, e o multifacetado vocal Diego Barreto. Essa galera se reuniu por acaso pra trazer de volta o espírito do Rock ‘n’ Roll personificado.

Veja o “Clip” da música “My Freedom”.

A Acústico Drive está participando da 4ª edição do concurso, promovido pela EDP Brasil, que está em busca de novas bandas brasileiras independentes, com talento e muita vontade de brilhar. O Concurso que é um sucesso em Portugal chegou ao Brasil em 2016 – país ao qual a EDP traz a sua boa energia – contabilizando desde então mais de 4.400 bandas inscritas em todo território brasileiro.

Nesta edição, tal como nas anteriores, a banda vencedora do “EDP Live Bands Brasil” vai tocar no “NOS Alive” em Portugal, um dos maiores festivais da Europa, e gravará um máster de um CD.

Então, vote na Acústico Drive neste link , e ajude a a banda a participar do “NOS Alive’19” em Portugal.

 

Acústico Drive - Logo

Diego Barreto – Vocalista
Lúcio Magno – Guitarra
David Rocco – Contra-baixo
Diego Mendes – Bateria

Conheça mais sobre a “Acústico Drive” nas redes sociais.

Facebook: https://www.facebook.com/acusticodriveoficial/
Instagram: https://www.instagram.com/acusticodriveoficial/
YouTube: https://www.youtube.com/channel/UC9hPnOhN8BHpyF3bmGXKYXw
____________________________________________
(Fonte: Carla Bulgarelli, Assessoria de Imprensa)
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

1 2 3 59