2017 – Os 20 Melhores álbuns do “Rock Internacional”. – Discos de Rock

O ano de 2017 foi recheado de lançamentos! Milhares de bandas nos presentearam com o melhor do rock. Muitas bandas e músicos renomados lançaram bons álbuns no decorrer do ano: U2, Foo Fighters, Robert Plant, Deep Purple, Depeche Mode, Gotthard, The Jesus and Mary Chain, Linkin Park, Roger Waters, Gregg Allman, Nickelback, Chuck Berry, Richie Kotzen, Liam Gallagher, Mr. Big, Neil Young, Alice Cooper, Arcade Fire, The Killers, Noel Gallagher’s High Flying Birds, Queens of the Stone Age… (Você pode checar AQUI esses, e muitos outros na “Lista de álbuns – Lançamentos 2017”).

Na lista de melhores, só entraram álbuns de estúdio, e o Heavy Metal e seus subgêneros ficaram de fora… Como toda lista nunca é unânime, já que reflete o gosto e a preferência de quem a elabora… você pode usar os comentários para deixar suas preferências e enriquecer o “post”, que tem o intuito de ser somente um guia para consulta e indicação de bons álbuns do gênero que tanto amamos… É #Rock… Então… Vamos aos escolhidos! Show!

20

Liam Gallagher – “As You Were”

#AlternativeRock – Inglaterra

“As You Were” é o primeiro álbum solo do “ex-Oasis” Liam Gallagher… Com ótimas canções e bem produzido, o álbum apesar de moderno, nos remete aos bons tempos do “Oasis” e mostra um “Liam Gallagher” renovado, mais maduro e com uma voz impecável.

19

Inglorious – “Inglorious II”

#HardRock – Inglaterra

Após a o aclamado álbum de estreia em 2016, a banda inglesa “Inglorious” esta de volta ainda melhor. O álbum “II” mostra um som mais maduro e com personalidade… E o Hard Rock agradece… As influências são nítidas (Whitesnake, Deep Purple, Bad Company…)… Mas as grandes canções, os vocais poderosos de Nathan James e um instrumental sólido e de alta qualidade garantem um DNA próprio a banda… O quinteto esbanja competência e nos faz viajar “aos tempos áureos” do velho e bom Hard Rock…

18

Black Star Riders – “Heavy Fire”

#HardRock – EUA

“Heavy Fire” é o terceiro álbum de estúdio da banda americana. Ainda com a “sombra” do “Thin Lizzy” por perto, aos poucos, a banda vai adquirindo identidade e nos presenteia com mais um grande trabalho. Com melodias brilhantes e pegajosas, belos arranjos, a voz impecável de “Ricky Warwick” e um grande e poderoso trabalho de guitarras, o álbum é imperdível. Com um “ar” setentista e pitadas de modernidade o “Black Star Riders” vai despontando com um dos grandes nomes do Hard Rock da atualidade.

17

Pristine – “Ninja”

#BluesRock – Noruega

Ninja é o quarto álbum da banda norueguesa, e mostra uma banda madura e criativa. O “Hard Blues Rock” com pitadas de PsicodeliaSoul, R&B e Funk nos remete aos bons tempos dos anos 70. Com vocais deslumbrantes da vocalista “Heidi Solheim”, belos arranjos e um instrumental de primeira o álbum é imperdível.

16

Roger Waters – “Is This the Life We Really Want?”

#ProgRock – Inglaterra

Após um hiato de 25 anos, “Roger Waters” nos presenteia com um álbum de inéditas e mostra mais uma vez porque é um dos maiores compositores do Rock… “Is This the Life We Really Want?” é quase um “Manifesto” onde “Roger Waters” critica as “mazelas” mundanas, expõe a sua visão de mundo e deixa aflorar seu lado humanista… Com uma sonoridade “floydiana”, o álbum é melodioso, cheio de efeitos sonoros e mostra “Waters” em excelente forma… Não deixe de ouvir!!!

15

Cheap Trick – “We’re All Alright!”

#HardRock – EUA

A banda americana, com mais de quarenta anos de estrada, mostra neste álbum que pra fazer boa música não importa a idade… We’re All Alright! é Hard Rock acessível com pitadas de punk e Southern Rock. O álbum com 10 músicas e pouco mais de 30 minutos, empolga e é diversão garantida. Com sua levada setentista a banda veterana esbanja competência… a voz de “Robin Zander” continua perfeita e o baixo de Tom Petersson e a guitarra de Rick Nielsen impecáveis.

14

Idles – “Brutalism”

#PunkRock – Inglaterra

“Brutalism” é o primeiro álbum de estúdio da banda de “punk rock” inglesa… E chega vigoroso, “inteligente” e cheio de energia… O vocalista “Joe Talbot” despeja seus vocais roucos com vigor e muito sarcasmo. O instrumental é preciso e agressivo… Realmente o quinteto inglês fez um grande trabalho… Vai agradar em cheio os amantes do “Punk Rock” e “Post-punk”. Há anos não ouço um trabalho do estilo tão interessante… Ouça correndo!!!

13

U2 – “Songs of Experience”

#Rock – Irlanda

“Songs Of Experience” é o 14º álbum de estúdio da banda irlandesa… E é um ótimo álbum… maduro, ótimas canções e letras… O álbum soa moderno sem perder as características da banda, o que prova, como sempre, a capacidade da banda em se reinventar… Com mais de 40 anos de estrada, os gigantes irlandeses, não precisam provar nada a ninguém… As vezes leio e ouço críticas a banda… Mas quem conhece um pouco de música, sabe: Fazer música como o U2 faz é difícil… Tudo parece muito simples, mas não é… a forma como eles encaixam as letras, as melodias e harmonias… é única… Bem, apesar do belo álbum, tudo parece muito certinho… faltou aquela “pegada” mais firme, aquela “sujeira” roqueira… e é por esse motivo, que o álbum não está nas primeiras posições da lista.

12

Greta Van Fleet – “From the Fires (EP)”

#HardRock – EUA

O Greta Van Fleet já havia me impressionado em abril com o EP de estreia, o ótimo “Black Smoke Rising”… Aí, a garotada americana resolveu, em novembro, juntar as 4 músicas desse EP com 3 músicas inéditas e uma releitura de “A Change Is Gonna Come” de “Sam Cooke”… Resultado?… Um baita “discão”, o EP “From the Fires”… “Hard Blues Rock” de primeira, com forte influência do Led Zeppelin. Agora é esperar que os irmãos “Kiszka” amadureçam e encontrem uma identidade própria em seus próximos lançamentos, já que talento não falta… Se você não ouviu “isso”… Corre, não sabe o que está perdendo!

11

Me and That Man – “Songs of Love and Death”

#AlternativeRock – Polônia

Bem… Esse álbum é surpreendente… “Songs of Love and Death” é o 1º álbum do projeto “Me and That Man” encabeçado pelo polonês Adam “Nergal” Darski (frontman da banda de metal extremo, “Behemoth”) e pelo inglês/polonês John Porter… Dessa união nasceu um álbum com uma sonoridade incrível… Um “Dark Folk/Country/BluesRock”… “Muito sombrio!!!”… Só escutando para se ter uma noção “dessa viagem ao mundo das trevas”… e como diz a letra da música que abre o álbum: “… O inferno é minha casa…”… haha… Corre, e escuta esse álbum, muito show!!!

10

Robert Plant – “Carry Fire”

#Rock – Inglaterra

“Carry Fire” é o décimo-primeiro álbum da carreira solo de “Robert Plant”… Um belíssimo trabalho, onde o “Folk Rock” predomina, mas que carrega também, todas as influências que fizeram do “Led Zeppelin” uma das maiores bandas de todos os tempos. Acompanhado pelos músicos da “The Sensational Space Shifters”, “Robert Plant” nos entrega belas canções, melancolia e letras que inspiram reflexão. Enfim, um álbum requintado, recheado de percussões, ritmos africanos e orientais… É a criatividade e o misticismo de “Robert Plant” nos presenteando, novamente, com um grande trabalho.

09

Deep Purple – “Infinite”

#HardRock – Inglaterra

São quase 50 anos de estrada… E eis que surge mais um álbum de uma das mais importantes e influentes bandas do rock… “Infinite” é o vigésimo álbum de estúdio da banda Inglesa e talvez, o último como muitos bradam por aí. O álbum é um trabalho honesto, de muita técnica, bem produzido e com excelentes canções… Ian Gillan já não tem a mesma voz dos tempos áureos da banda, mas, aos 71 anos, com muita competência, mostra porque é um dos maiores vocalistas da história do rock. “Roger Glover” (baixo) e “Ian Paice” (bateria) garantem com experiência e maestria uma “cozinha” perfeita. Don Airey faz um trabalho fantástico nos teclados e “Steve Morse” arrebenta na guitarra. Em suma: Mais um grande trabalho de um dos gigantes do rock.

08

The Night Flight Orchestra – “Amber Galactic”

#HardRock – Suécia

“Amber Galactic” é o terceiro álbum do excelente projeto capitaneado pela dupla da banda de Death metal “Soilwork” (vocalista Björn Strid e o guitarrista David Andersson) e pelo baixista da banda “Arch Enemy” (Sharlee D’Angelo). O álbum chega para consolidar de vez a banda sueca como um dos maiores representantes do Rock Melódico/AOR da atualidade. Viajando numa sonoridade que vai do “Classic Rock” ao “AOR” das décadas de 70/80, o sexteto sueco esbanja criatividade, suingue e personalidade em “Amber Galactic” e nos entrega composições de alto nível, com refrãos marcantes, ótimas melodias, belos trabalhos de teclados e excelente performance vocal de Björn Strid.

07

Europe – “Walk the Earth”

#HardRock – Suécia

Os Suecos do Europe nos presenteiam com um baita álbum de Hard Rock. “Walk the Earth” é o 11º álbum de estúdio da banda e é de longe, o melhor trabalho desde o retorno da banda em 2003. Longe do “ar farofa” da década de 80, o álbum bebe na fonte do “Classic Rock” e foi gravado no “Abbey Road Studios”, em Londres… Com ótimas letras, belas melodias, um ótimo trabalho de guitarra de “John Norum” e a voz cativante de “Joey Tempest” o álbum é um prato cheio para os amantes do Hard Rock.

06

Dirty Thrills – “Heavy Living”

#BluesRock – Inglaterra

Heavy Living é o segundo álbum de estúdio da banda inglesa Dirty Thrills. Viajando numa sonoridade setentista mas com roupagem atualizada, percebe-se no “Hard Blues Rock” da banda forte influência de bandas modernas como “Rival Sons” e de bandas clássicas como “Led Zeppelin e Bad Company”. O álbum mostra uma banda em franca evolução, com belos riffs do guitarrista Jack Fawdry e performance vocal poderosa do vocalista Louis James. Destaque para as músicas “Lonely Soul” (uma balada “Soul” belíssima), “I’ll Be With You” (Baita som que “abre o álbum) e “Law Man” (primeiro single de trabalho).

05

Gov’t Mule – “Revolution Come…Revolution Go”

#SouthernRock – EUA

Bem… Falar do “Gov’t Mule” é chover no molhado, não tem disco ruim em sua discografia… Warren Haynes, o líder da banda, dispensa comentários é um baita guitarrista e vocalista e tem experiência de sobra… já integrou o “The Allman Brothers Band” e participou de álbuns de vários artistas “renomados”.

“Revolution Come…Revolution Go” é um álbum excelente, que viaja por sonoridades diversas, com ótimas canções, belas melodias, “riffs” de guitarras primorosos e a voz ímpar, e cada vez melhor, de “Warren Haynes”. Vale destacar também o belo trabalho da banda… Instrumental impecável.

04

Big Big Train – “Grimspound”

#ProgRock – Inglaterra

Big Big Train, um dos melhores e mais conceituados grupos de #ProgRock da atualidade, nos presenteia com um álbum nostálgico, brilhante… O octeto inglês esbanja bom gosto, técnica, musicalidade e nos remete aos anos 70 (tempos áureos do rock progressivo). O vocalista David Longdon está impecável e o instrumental beira a perfeição… Álbum imperdível para os amantes do rock progressivo e da boa música.

03

Harem Scarem – “United”

#HardRock – Canadá

Os canadenses do “Harem Scarem”, que completaram 30 anos de carreira em 2017, lançaram “United” em maio, e mostram porque são um dos nomes mais importantes do “AOR”… O álbum cheio de energia e melodia é excelente do início ao fim… Com um trabalho vocal incrível de Harry Hess e a guitarra impecável de Pete Lesperance, é um presente para os fãs da banda e para os amantes do “Rock Melódico”…  Mesmo com uma roupagem mais moderna o Harem Scarem nos faz viajar pelos melhores momentos do Hard Rock dos anos 70/80/90 e faz a tarefa de ouvir o álbum um grande prazer…

02

Steven Wilson – “To the Bone”

#ProgRock – Inglaterra

“To the Bone” é o quinto álbum da carreira solo do vocalista inglês. O “ex-Porcupine Tree” nos apresenta um álbum excelente… Os amantes conservadores do rock progressivo talvez discordem, mas é certo que “Wilson”, aos poucos, sem abandonar suas raízes, se moderniza, busca novas sonoridades e se torna mais acessível, mas nem por isso menos brilhante… O álbum tem influências nítidas de nomes como “Kate Bush”, “Peter Gabriel”, “Tears For Fears”… Destaque para as canções: “Pariah”, um belíssimo dueto com a cantora “Ninet Tayeb”; a excelente e complexa “Refuge”; e a incrível “Detonation”, a canção mais progressiva do álbum… Em suma, um belíssimo álbum, moderno, cativante… Mais uma vez “Steven Wilson” nos ensina que boa música não tem “estilo” definido. Álbum imperdível!!

01

The War On Drugs – “A Deeper Understanding”

#AlternativeRock – EUA

“A Deeper Understanding” é o quarto álbum da banda alternativa americana “The War on Drugs”… Um belo álbum, melodioso, eclético, profundo, intimista… Em canções longas, a maioria delas com mais de 6 minutos, Adam Granduciel, o líder da banda, despeja sentimentos em belas letras, pitadas de synth-pop, arranjos primorosos e “sonoridades oitentistas” com influências audíveis de Bob Dylan, “Bruce Springsteen, “U2″… Se ao ouvir o álbum, você se desprender do “mundo”, vai ter a impressão de estar ouvindo uma só canção, tamanha é a sinergia entre as músicas… O segredo aqui, é deitar-se num sofá confortável, apertar o play e viajar, sem bússolas ou mapas… Com certeza sua viagem vai ser longa, inesperada, cheia de reflexões e talvez você encontre alguém, e esse alguém é você!!!… Álbum imperdível!!!

(Visited 1.389 times, 1 visits today)

Comentários

Comentários