Livro: “Paul McCartney, A Biografia”

Nesta biografia essencial, você encontrará tudo o que sempre quis saber sobre Paul McCartney mas não tinha certeza se era mito ou fato.

Autor: Philip Norman
Editora: Companhia das Letras
Ano de Lançamento: 2017
Título Original: Paul McCartney, The Biography (2016)

lexapro withdraw symptoms https://plastic-pollution.org/trialrx/akatinol-generico-de-cialis/31/ statistics homework help online codeine phosphoricum rezeptfrei viagra follow link valtrex rabbit https://homemods.org/usc/columbian-exchange-essay/46/ engineering thesis examples science topic research paper www.viagra.com bangladesh.address.com https://thejeffreyfoundation.org/newsletter/thesis-on-wsn/17/ i have a dream speech essay introduction the resistance of a wire gcse coursework https://campingunlimited.org/dissertation/best-movies-to-write-an-essay-on-work/26/ https://www.lapressclub.org/hypothesis/avian-influenza-essay/29/ enter site las vegas doctors viagra http://hyperbaricnurses.org/792-buy-viagra-online-a-href/ theories used in thesis effects of car accidents essay follow solve the maths problem go daftar harga viagra mechanical projects for engineering students centro polispecialistico salus erba prevent headache viagra click go here business ethics a case study approach pdf viagra in uk legal marxism essay Sinopse da Editora

Sim, Paul McCartney fumou maconha diariamente até depois dos sessenta anos de idade (e parou para não dar mau exemplo à filha pequena, Beatrice). Sim, Paul McCartney e Yoko Ono ainda hoje não se bicam. Sim, ele é considerado mão de vaca até pelos amigos íntimos. Sim, ele é um compositor erudito respeitado por seus pares. E não, ele não está morto. Muito pelo contrário.

No final dos anos 1950, quatro adolescentes de Liverpool se reuniram para mudar para sempre a história da música e o próprio mundo como até então era conhecido. A beatlemania andou de mãos dadas com a revolução cultural dos anos 1960 e, como líder inconteste dos Fab Four (a despeito da opinião dos adoradores de John Lennon), Paul McCartney foi um de seus protagonistas. Mas o autor de “Hey Jude” e tantos sucessos imortais não é apenas o ex-líder do Beatles. Quase cinquenta anos depois do fim da banda, ele continua vivíssimo, no topo das paradas e elogiado pela crítica.

Aclamada no Reino Unidos e nos EUA, esta biografia é a mais precisa e abrangente já publicada sobre Paul McCartney. Especialista em rock e profundo conhecedor da história dos Beatles, Philip Norman rastreia todos os passos do biografado com o precioso auxílio de entrevistas com membros de seu círculo pessoal. As versões de ex-namoradas, colegas, amigos, familiares e desafetos ajudam o autor de John Lennon: a vida a compor um retrato equilibrado do baixista canhoto que, um dia na vida, saiu de Liverpool com seu instrumento em formato de violino para transformar o rock numa grande arte.

 

– Leia e saiba mais no site da Companhia das Letras.

Livro: “A Batalha pela Alma dos Beatles”


__________________________________________________________

Autor: Peter Doggett
Editora: Nossa Cultura
Tradutor: Ivan Justen
Ano de Lançamento: 2012
Título Original: “You Never Give Me Your Money, The Battle For The Soul Of The Beatles” (2009)
___________________________________________________________

Release da Editora

Nesta cativante narrativa, Peter Doggett documenta os dramas humanos da rica e envolvente história do império criativo e financeiro dos Beatles, formado para salvaguardar seus interesses, mas fadado a controlar suas vidas. Da tragédia até o retorno triunfal, dos confrontos judiciais aos sucessos nas paradas, A Batalha pela Alma dos Beatles retrata a história não contada de uma banda e de um legado que nunca serão esquecidos.

Quando Paul McCartney disse ao mundo em 1970 que não planejava mais trabalhar com os Beatles, mídia e público em geral sofreram o que foi visto como uma tragédia cultural. As declarações do músico não apenas marcaram o encerramento da majestosa carreira da banda, mas sinalizaram o final de uma era de otimismo sem precedentes na história da cultura popular humana.

Porém, a posteridade não dispensaria o grupo tão facilmente, e uma das fases mais fascinantes da história dos Beatles estava prestes a começar. Por quase quarenta anos, os quatro integrantes, suas famílias e parceiros de negócios foram forçados a viver em meio às reverberações daquele sucesso incrível.

Agora, pela primeira vez, é contada a dramática história das rivalidades pessoais e profissionais que dominaram as vidas dos Beatles desde 1969. As shakespearianas batalhas das famílias de Lennon e McCartney, os conflitos existenciais de George Harrison, dividido entre espiritualidade e fama, e os esforços de Richard Starkey (Ringo Starr) contra o alcoolismo que ameaçava sua vida. As relações mutáveis entre os quatro, ao lutarem para afirmar suas identidades fora dos Beatles, e a transformação de sua empresa multimidiática, a Apple Corps, de bastião da contracultura a leviatã corporativo.

Nesta cativante narrativa, Peter Doggett documenta os dramas humanos da rica e envolvente história do império criativo e financeiro dos Beatles, formado para salvaguardar seus interesses, mas fadado a controlar suas vidas. Da tragédia até o retorno triunfal, dos confrontos judiciais aos sucessos nas paradas, A Batalha pela Alma dos Beatles retrata a história não contada de uma banda e de um legado que nunca serão esquecidos.

__________________________________________________________
– Leia e saiba mais no site da Editora Nossa Cultura.

– Leia a matéria no site do Jornal “Folha de São Paulo.

Livro: “The Beatles vs. The Rolling Stones, A Grande Rivalidade do Rock’ n’ Roll”

__________________________________________________________

Autor: Jim DeRogatis e Greg Kot
Editora: Globo
Tradutor: Cristina Yamagami
Ano de Lançamento: 2011
Título Original: “The Beatles vs. The Rolling Stones: Sound Opinions on the Great Rock ‘n’ Roll Rivalry” (2010)
___________________________________________________________

Release da Editora

Beatles ou Stones?

Os dois ícones da cultura pop do século XX são dissecados e comparados em livro sobre a eterna polêmica do rock: qual foi a maior banda de todos os tempos?

Há meio século, todo e qualquer jovem que começa a desbravar o mundo do rock´n´roll, cedo ou tarde, chega a um impasse: Beatles ou Rolling Stones? É relativamente admissível que um garoto do século XXI opte por Beatles e Stones, mas a mais longeva dualidade da cultura pop continua sólida – como se gostar de uma banda excluísse automaticamente a possibilidade de admirar a outra.

Com esse ponto de partida, The Beatles vs. The Rolling Stones: A Grande Rivalidade do Rock´n´roll apresenta opiniões ruidosas sobre a grande rivalidade do rock´n´roll põe as bandas lado a lado num detalhado exame comparativo de cada um dos aspectos que as transformaram em lendas. Numa divertida série de “batalhas”, a obra põe em confronto os respectivos vocalistas, guitarristas, bateristas, baixistas, composições, discografias, caminhos criativos e até imagens públicas de Beatles e Stones.

O livro é todo desenvolvido na forma de diálogos entre os autores, os norte-americanos Jim DeRogatis e Greg Kot, ambos críticos musicais baseados em Chicago e autores de diversos títulos sobre rock e pop. DeRogatis, que por anos foi colunista do Chicago Sun-Times, e Kot, que escreve para o Chicago Tribune, comandam o programa de rádio Sound Opinions, conhecido pelo fato de seus apresentadores sempre discordarem entre si – ou só concordarem acerca de algum tema por motivos invariavelmente diferentes.

Feito para entusiasmar (ou, às vezes, enfurecer) fãs de parte a parte, a obra é séria candidata a item de colecionador, com sua riquíssima coleção de fotos e reproduções de capas de álbuns e cartazes de shows. Tudo isso acompanhado de muita informação extra: temperando o debate principal, há vários destaques relacionando a bibliografia acerca das bandas, os filmes estrelados por elas, os “melhores momentos” de cada músico individualmente, os escândalos e tragédias que marcaram suas trajetórias, e assim por diante.

___________________________________________________________
– Leia e saiba mais no site da Editora Globo.
– Leia a matéria sobre o livro no site “Collectors Room”.

Livro: “John Lennon, A Vida”

Biografia definitiva de John Lennon – escrita com base em extensa pesquisa e em documentos e depoimentos inéditos de Yoko Ono, Sean Lennon e Paul McCartney – traz revelações surpreendentes sobre o ex-Beatle, desde a infância em Liverpool até seus anos finais em Nova York, onde Lennon foi morto a tiros em 8 de dezembro de 1980.
__________________________________________________________

Autor: Philip Norman
Editora: Companhia das Letras
Tradução: Roberto Muggiati
Título Original: John Lennon: The Life
Ano de Lançamento: 2009
__________________________________________________________

Sinopse da Editora

Entre as muitas revelações contidas nesta nova biografia de John Lennon, talvez a mais inocente seja a de que, ao contrário do que se acreditava até hoje, não foi a tia, Mimi, mas sua mãe, Julia, quem lhe deu a primeira guitarra. Bem menos inocente é a identificação correta da verdadeira musa de “Norwegian Wood”, canção dos Beatles que relatava um evidente caso extraconjugal do líder da banda.

Mas nem uma coisa nem outra dá a tônica à cuidadosa pesquisa realizada por Philip Norman ao longo de três anos. Longe de contentar-se com curiosidades ou mexericos, John Lennon: a vida é o relato biográfico mais completo já escrito sobre uma das personalidades mais fascinantes da segunda metade do século XX: John Winston Lennon, nascido em 9 de outubro de 1940 e tragicamente morto a tiros em 8 de dezembro de 1980, na entrada do edifício Dakota, em Nova York.

Com acesso a documentos inéditos e testemunhos diretos de Yoko Ono, Sean Lennon e Paul McCartney, entre outros, Norman começa por descrever em detalhes infância e adolescência do ex-Beatle, e logo traz à tona episódios e personagens cruciais para o entendimento de uma figura tão unanimemente admirada quanto controvertida. O pai, Freddie Lennon, que o teria abandonado ainda pequeno, é uma delas, e seu lado da história ganha aqui, pela primeira vez, um relato pormenorizado. Não menos surpreendentes são os episódios jamais divulgados da vida do ex-Beatle, como a surra feroz e injustificada que, ainda em Hamburgo, Lennon teria dado em Stu Sutcliffe, mais tarde apontada como possível causa da morte prematura do amigo, em 1962.

Stu e Julia, Lennon admitiria mais tarde, foram as grandes perdas de uma existência marcada em igual medida pela genialidade e pela insegurança. Na outra ponta, Yoko Ono dá testemunho sincero e único dos quase quinze anos de vida a dois, e um comovente depoimento de Sean Lennon encerra o livro. Se, como mostra Philip Norman, John carregou por toda a vida a mágoa de não ter podido conviver mais tempo com a mãe, Julia, Sean não teve melhor sorte: tinha cinco anos quando o pai foi assassinado – uma das trágicas coincidências de uma biografia tão rica quanto conturbada, apresentada aqui num texto cristalino, que alia rigor de pesquisa a qualidade literária.
_________________________________________________________

– Leia e saiba mais no site da Companhia das Letras.
– Leia a matéria do jornal “Folha de São Paulo” sobre o livro.