Livro: “Paul McCartney, A Biografia”

Nesta biografia essencial, você encontrará tudo o que sempre quis saber sobre Paul McCartney mas não tinha certeza se era mito ou fato.

Autor: Philip Norman
Editora: Companhia das Letras
Ano de Lançamento: 2017
Título Original: Paul McCartney, The Biography (2016)

a modest proposal essay idea pro medical marijuana essays amine essay sn2 estradiol prometrium clomid together https://www.myrml.org/outreach/thesis-report-layout/42/ national honor society essay conclusion cell phone policy school essay https://businesswomanguide.org/capstone/expository-essay-on-tattoos/22/ information on acyclovir essay on holi of class 6 https://cwstat.org/termpaper/thesis-recommendation-content/50/ http://amade.udg.edu/medication/quanto-custa-um-viagra-de-50mg/23/ evaluative annotated bibliography example how to compare and contrast ideas in an essay biaxin and cialis how do i buy viagra on line example of discussion chapter in dissertation source site https://greenechamber.org/blog/willoughby-middle-school-homework-hotline/74/ https://caberfaepeaks.com/school/american-government-homework-help/27/ free dissertation topics business management click es delito comprar viagra por internet crestor side effects muscle pain https://wolverinecrossing.com/how/creation-of-israel-essay/35/ enter site dna essay occurs during this phase follow link https://www.myrml.org/outreach/essay-using-pathos/42/ source url Sinopse da Editora

Sim, Paul McCartney fumou maconha diariamente até depois dos sessenta anos de idade (e parou para não dar mau exemplo à filha pequena, Beatrice). Sim, Paul McCartney e Yoko Ono ainda hoje não se bicam. Sim, ele é considerado mão de vaca até pelos amigos íntimos. Sim, ele é um compositor erudito respeitado por seus pares. E não, ele não está morto. Muito pelo contrário.

No final dos anos 1950, quatro adolescentes de Liverpool se reuniram para mudar para sempre a história da música e o próprio mundo como até então era conhecido. A beatlemania andou de mãos dadas com a revolução cultural dos anos 1960 e, como líder inconteste dos Fab Four (a despeito da opinião dos adoradores de John Lennon), Paul McCartney foi um de seus protagonistas. Mas o autor de “Hey Jude” e tantos sucessos imortais não é apenas o ex-líder do Beatles. Quase cinquenta anos depois do fim da banda, ele continua vivíssimo, no topo das paradas e elogiado pela crítica.

Aclamada no Reino Unidos e nos EUA, esta biografia é a mais precisa e abrangente já publicada sobre Paul McCartney. Especialista em rock e profundo conhecedor da história dos Beatles, Philip Norman rastreia todos os passos do biografado com o precioso auxílio de entrevistas com membros de seu círculo pessoal. As versões de ex-namoradas, colegas, amigos, familiares e desafetos ajudam o autor de John Lennon: a vida a compor um retrato equilibrado do baixista canhoto que, um dia na vida, saiu de Liverpool com seu instrumento em formato de violino para transformar o rock numa grande arte.

 

– Leia e saiba mais no site da Companhia das Letras.

Livro: “A Batalha pela Alma dos Beatles”


__________________________________________________________

Autor: Peter Doggett
Editora: Nossa Cultura
Tradutor: Ivan Justen
Ano de Lançamento: 2012
Título Original: “You Never Give Me Your Money, The Battle For The Soul Of The Beatles” (2009)
___________________________________________________________

Release da Editora

Nesta cativante narrativa, Peter Doggett documenta os dramas humanos da rica e envolvente história do império criativo e financeiro dos Beatles, formado para salvaguardar seus interesses, mas fadado a controlar suas vidas. Da tragédia até o retorno triunfal, dos confrontos judiciais aos sucessos nas paradas, A Batalha pela Alma dos Beatles retrata a história não contada de uma banda e de um legado que nunca serão esquecidos.

Quando Paul McCartney disse ao mundo em 1970 que não planejava mais trabalhar com os Beatles, mídia e público em geral sofreram o que foi visto como uma tragédia cultural. As declarações do músico não apenas marcaram o encerramento da majestosa carreira da banda, mas sinalizaram o final de uma era de otimismo sem precedentes na história da cultura popular humana.

Porém, a posteridade não dispensaria o grupo tão facilmente, e uma das fases mais fascinantes da história dos Beatles estava prestes a começar. Por quase quarenta anos, os quatro integrantes, suas famílias e parceiros de negócios foram forçados a viver em meio às reverberações daquele sucesso incrível.

Agora, pela primeira vez, é contada a dramática história das rivalidades pessoais e profissionais que dominaram as vidas dos Beatles desde 1969. As shakespearianas batalhas das famílias de Lennon e McCartney, os conflitos existenciais de George Harrison, dividido entre espiritualidade e fama, e os esforços de Richard Starkey (Ringo Starr) contra o alcoolismo que ameaçava sua vida. As relações mutáveis entre os quatro, ao lutarem para afirmar suas identidades fora dos Beatles, e a transformação de sua empresa multimidiática, a Apple Corps, de bastião da contracultura a leviatã corporativo.

Nesta cativante narrativa, Peter Doggett documenta os dramas humanos da rica e envolvente história do império criativo e financeiro dos Beatles, formado para salvaguardar seus interesses, mas fadado a controlar suas vidas. Da tragédia até o retorno triunfal, dos confrontos judiciais aos sucessos nas paradas, A Batalha pela Alma dos Beatles retrata a história não contada de uma banda e de um legado que nunca serão esquecidos.

__________________________________________________________
– Leia e saiba mais no site da Editora Nossa Cultura.

– Leia a matéria no site do Jornal “Folha de São Paulo.

Livro: “The Beatles vs. The Rolling Stones, A Grande Rivalidade do Rock’ n’ Roll”

__________________________________________________________

Autor: Jim DeRogatis e Greg Kot
Editora: Globo
Tradutor: Cristina Yamagami
Ano de Lançamento: 2011
Título Original: “The Beatles vs. The Rolling Stones: Sound Opinions on the Great Rock ‘n’ Roll Rivalry” (2010)
___________________________________________________________

Release da Editora

Beatles ou Stones?

Os dois ícones da cultura pop do século XX são dissecados e comparados em livro sobre a eterna polêmica do rock: qual foi a maior banda de todos os tempos?

Há meio século, todo e qualquer jovem que começa a desbravar o mundo do rock´n´roll, cedo ou tarde, chega a um impasse: Beatles ou Rolling Stones? É relativamente admissível que um garoto do século XXI opte por Beatles e Stones, mas a mais longeva dualidade da cultura pop continua sólida – como se gostar de uma banda excluísse automaticamente a possibilidade de admirar a outra.

Com esse ponto de partida, The Beatles vs. The Rolling Stones: A Grande Rivalidade do Rock´n´roll apresenta opiniões ruidosas sobre a grande rivalidade do rock´n´roll põe as bandas lado a lado num detalhado exame comparativo de cada um dos aspectos que as transformaram em lendas. Numa divertida série de “batalhas”, a obra põe em confronto os respectivos vocalistas, guitarristas, bateristas, baixistas, composições, discografias, caminhos criativos e até imagens públicas de Beatles e Stones.

O livro é todo desenvolvido na forma de diálogos entre os autores, os norte-americanos Jim DeRogatis e Greg Kot, ambos críticos musicais baseados em Chicago e autores de diversos títulos sobre rock e pop. DeRogatis, que por anos foi colunista do Chicago Sun-Times, e Kot, que escreve para o Chicago Tribune, comandam o programa de rádio Sound Opinions, conhecido pelo fato de seus apresentadores sempre discordarem entre si – ou só concordarem acerca de algum tema por motivos invariavelmente diferentes.

Feito para entusiasmar (ou, às vezes, enfurecer) fãs de parte a parte, a obra é séria candidata a item de colecionador, com sua riquíssima coleção de fotos e reproduções de capas de álbuns e cartazes de shows. Tudo isso acompanhado de muita informação extra: temperando o debate principal, há vários destaques relacionando a bibliografia acerca das bandas, os filmes estrelados por elas, os “melhores momentos” de cada músico individualmente, os escândalos e tragédias que marcaram suas trajetórias, e assim por diante.

___________________________________________________________
– Leia e saiba mais no site da Editora Globo.
– Leia a matéria sobre o livro no site “Collectors Room”.

Livro: “John Lennon, A Vida”

Biografia definitiva de John Lennon – escrita com base em extensa pesquisa e em documentos e depoimentos inéditos de Yoko Ono, Sean Lennon e Paul McCartney – traz revelações surpreendentes sobre o ex-Beatle, desde a infância em Liverpool até seus anos finais em Nova York, onde Lennon foi morto a tiros em 8 de dezembro de 1980.
__________________________________________________________

Autor: Philip Norman
Editora: Companhia das Letras
Tradução: Roberto Muggiati
Título Original: John Lennon: The Life
Ano de Lançamento: 2009
__________________________________________________________

Sinopse da Editora

Entre as muitas revelações contidas nesta nova biografia de John Lennon, talvez a mais inocente seja a de que, ao contrário do que se acreditava até hoje, não foi a tia, Mimi, mas sua mãe, Julia, quem lhe deu a primeira guitarra. Bem menos inocente é a identificação correta da verdadeira musa de “Norwegian Wood”, canção dos Beatles que relatava um evidente caso extraconjugal do líder da banda.

Mas nem uma coisa nem outra dá a tônica à cuidadosa pesquisa realizada por Philip Norman ao longo de três anos. Longe de contentar-se com curiosidades ou mexericos, John Lennon: a vida é o relato biográfico mais completo já escrito sobre uma das personalidades mais fascinantes da segunda metade do século XX: John Winston Lennon, nascido em 9 de outubro de 1940 e tragicamente morto a tiros em 8 de dezembro de 1980, na entrada do edifício Dakota, em Nova York.

Com acesso a documentos inéditos e testemunhos diretos de Yoko Ono, Sean Lennon e Paul McCartney, entre outros, Norman começa por descrever em detalhes infância e adolescência do ex-Beatle, e logo traz à tona episódios e personagens cruciais para o entendimento de uma figura tão unanimemente admirada quanto controvertida. O pai, Freddie Lennon, que o teria abandonado ainda pequeno, é uma delas, e seu lado da história ganha aqui, pela primeira vez, um relato pormenorizado. Não menos surpreendentes são os episódios jamais divulgados da vida do ex-Beatle, como a surra feroz e injustificada que, ainda em Hamburgo, Lennon teria dado em Stu Sutcliffe, mais tarde apontada como possível causa da morte prematura do amigo, em 1962.

Stu e Julia, Lennon admitiria mais tarde, foram as grandes perdas de uma existência marcada em igual medida pela genialidade e pela insegurança. Na outra ponta, Yoko Ono dá testemunho sincero e único dos quase quinze anos de vida a dois, e um comovente depoimento de Sean Lennon encerra o livro. Se, como mostra Philip Norman, John carregou por toda a vida a mágoa de não ter podido conviver mais tempo com a mãe, Julia, Sean não teve melhor sorte: tinha cinco anos quando o pai foi assassinado – uma das trágicas coincidências de uma biografia tão rica quanto conturbada, apresentada aqui num texto cristalino, que alia rigor de pesquisa a qualidade literária.
_________________________________________________________

– Leia e saiba mais no site da Companhia das Letras.
– Leia a matéria do jornal “Folha de São Paulo” sobre o livro.