Radio Front: A banda carioca lança seu álbum de estreia, “Into the Rain”.

Radio Front, Divulgação
(Foto:Radio Front, divulgação)

Mesclando influências pessoais como uma rádio a sintonizar frequências diferentes, a banda carioca Radio Front lança seu álbum de estreia, “Into the Rain”. O trabalho reúne faixas com contornos diversos do rock alternativo, do grunge, do stoner com momentos que se aproximam de vertentes tão diferentes entre si como o hardcore e o metal, e os músicos fazem isso sempre evidenciando os fortes riffs de guitarra e o um vocal arrebatador. A masterização do registro foi feita em Seattle (EUA), por Chris Hanzsek.

“Into the Rain” surge como uma tempestade na cena brasileira. A banda, que iniciou a carreira nos subúrbios do Rio de Janeiro, traz criatividade e paixão em cada faixa, e rompe barreiras ao compor todas as músicas exclusivamente em inglês. “My Body” abre o disco com prontidão. Primeiro single da carreira, a canção foi produzida por todos os integrantes e composta pelo vocalista Felipe Nova e o guitarrista Victor Larcher. A música passa um sentimento de sexualidade, sem gênero definido, e fala sobre explorar o corpo e as sensações que ele pode proporcionar. A seguinte, “Candle Hope”, conversa com a solidão e os momentos vividos por aqueles que não têm esperança.
“Wake me With Your Call” é uma power ballad roqueira que se apropria da vibe vintage dos anos 90. Da mesma forma, “Cut My Wings” evoca a raiva dos acordes grunge, unindo a força dos instrumentos com a letra poética e crítica.
O álbum também se destaca pelas composições marcantes. Exemplo de “After Glow”, que fala sobre um estado de expansão da consciência, os caminhos traçados e o combate aos próprios demônios. A eletrizante “Gravity” e a tensa “Black Soldier” se completam de diferentes formas: a primeira rápida e intensa e a segunda mais lenta e carregada.
Essa última faixa abre um novo ato com “Into the Rain pt 1” e “Into the Rain pt 2”, que destacam as linhas de baixo de Marcelo Moreira. As duas faixas trazem um sentimento de luto. A euforia apaixonante de “Heartburn” e a tristeza de “Wonder” mostram os dois lados da paixão, o estar apaixonado e o fim repentino. Por fim, “In My Room” finaliza o registro com arranjos mais encorpados e influências do punk.

2018 - Radio-Front - Into The Rain

Álbum: Into The Rain
Lançamento: 10/08/2018
Masterização: Chris Hanzsek
Produção e Mixagem: Luiz Freitag e Jon Marques, da Musark

Tracklist

01 – My Body
02 – Candlehope
03 – Wake Me with Your Call
04 – Cut My Wings
05 – Afterglow
06 – Gravity
07 – Black Soldier
08 – Into the Rain, Pt. 1
09 – Into the Rain, Pt. 2
10 – Heartburn
11 – Wonder
12 – In My Room

Ouça o Álbum no Spotify ou neste Link em sua plataforma de streaming preferida.

Veja o Clip da música “Wake Me With Your Call”.

Radio Front é:

Felipe Nova (voz)
Victor Larcher (guitarra)
Bruno Moreira (guitarra)
Marcelo Moreira (baixo)
Leonardo Bourseau (bateria)

Conheça mais sobre a “Radio Front” nas redes sociais

https://twitter.com/radiofrontband
https://www.facebook.com/Radiofrontoficial
https://www.deezer.com/br/artist/7947442
Site: http://radiofrontband.com/

(Fonte: Nathália Pandeló Corrêa, Assessoria de Imprensa)
——————————————-
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Malabaristas de Semáforo: A banda carioca lança “Lado B”, seu álbum de estreia.

O trio carioca Malabaristas de Semáforo mostra a potência de seu rock sem firulas e direto ao ponto no álbum de estreia, “Lado B”. O trabalho entrega uma banda já experiente pelos cinco anos de estrada, ao mesmo tempo que olha para o panorama atual e explora temáticas sociais, políticas e culturais. O disco, com 10 faixas e produção de Celo Oliveira, já está disponível nos principais serviços de streaming, em um lançamento do selo Caravela.
Formado por Fabrício Cardozo (bateria), Pedro Grisolia (guitarra) e Cleber ST (voz e baixo), o Malabaristas de Semáforo é a união de três novos talentos do rock brasileiro: o baterista incontrolável; o guitarrista prodígio e o músico e letrista inquieto por vocação.

Malabaristas de Semáforo por Laura Grisolia(Foto:Malabaristas de Semáforo por Laura Grisolia)

O título do álbum remete não apenas a um lado oposto, mas também ao espontâneo, autêntico e intrínseco. Estampando essa ideia na arte de capa, a banda aponta para o seu lado mais “alternativo” e menos comercial, indo na direção contrária da indústria que, desde os LPs e cassetes, privilegia os singles e canções mais radiofônicas, em detrimento das demais. Nesse caso, o lado B é a verdadeira essência da Malabaristas de Semáforo.
“O conceito do álbum foi explorar nossa diversidade sonora, a sinceridade de composições simples, num paralelo a uma viagem de montanha russa – alternando momentos de tensão e adrenalina com momentos de calmaria e alívio, numa simultânea busca por reflexão através de letras secas e diretas”, define o vocalista, baixista e fundador da banda, Cleber ST.
Essa viagem começa pelo single “Tédio”, que tem em sua letra um jeito de tarde de domingo, em contraste com a sonoridade embalada pelo stoner rock. A canção foi a primeira do álbum a ganhar um vídeo. Em seguida, “Homem Invisível” aborda a sensação de não-pertencimento quando não se tem voz. Ela abre as portas para “Normose”, single mais recente que denuncia a inércia diante dos comportamentos ditados responsáveis por eliminar originalidade e individualidade. A faixa ganhou um lyric video que traz cenas de um cotidiano controlado.
Essa noção de manipulação e alienação segue em “Feno”, remetendo à domesticação, à letargia de quem se alimenta das mesmas fontes sem questioná-las. A única solução é “Vamos Pra Rua Lutar”, no espírito de decepção com o sistema e da vontade de virar o jogo. “Mais” traz a noção de que a ganância nos cega para as coisas livres e simples da vida. “Sua Sorte” promove a ideia de ser protagonista da sua própria jornada do herói, enquanto “Anônimo” desconstrói a importância do indivíduo diante da sociedade. “Pretérito Perfeito” é um olhar no espelho e o entendimento de que desistir não é uma opção, encerrando com “O que for”, aconteça o que acontecer.

Veja o clip da Música “Tédio”.

 

https://i2.wp.com/canaldorock.com.br/wp-content/uploads/2018/07/2018-Malabaristas-de-Semáforo-Lado-B.jpg?w=860&ssl=1

Álbum: Lado B
Lançamento: 20/07/2018
Gravado no Kolera Homestudio
Mixado e masterizado por Celo Oliveira
Produzido por Celo Oliveira e Cleber ST

Tracklist
01.Tédio
02.Homem Invisível
03.Normose
04.Feno
05.Vamos Pra Rua Lutar
06.Mais
07.Sua Sorte
08.Anônimo
09.Pretérito Perfeito
10.O Que For

 

Ouça o Álbum no Spotify.

Neste Link, você pode ouvir o álbum em sua plataforma de streaming preferida.

Conheça mais sobre “Malabaristas de Semáforo” nas redes sociais.

https://www.instagram.com/malabaristasdesemaforo/
https://www.facebook.com/malabaristasdesemaforo
https://www.youtube.com/channel/UC3YibAIqp7kud5wg6nfZMuw
Site: https://www.malabas.com/

 

(Fonte: Nathália Pandeló Corrêa, Assessoria de Imprensa)
——————————————-
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

“Hardcore Por Um Mundo Mais Digno Fest” chega à 3ª edição.

Festival, organizado pelo Escombro, do cast da Artico Inc, une música e solidariedade neste sábado, 7, no “Jai Club” em São Paulo.

Banda Escombro por Jow Head
(Foto: Banda Escombro por Jow Head)

A música engajada em causas sociais rompe as barreiras entre palco e plateia no Hardcore Por Um Mundo Mais Digno Fest, que chega à terceira edição neste sábado (7/7), em São Paulo. A anfitriã Escombro terá a companhia dos parceiros do selo Artico Music, Institution, mais Fim da Aurora, Never Look Back e Santa Morte. O evento acontece a partir das 16 horas, no Jai Club.

A entrada custa R$ 12 mais um quilo de alimento, que serão integralmente doados à ONG Associação Grupo Sol, da capital paulista. O festival também será ponto de recolhimento de agasalhos e roupas, que reforça ainda mais o caráter beneficente. As primeiras 20 pessoas que entrarem no fest ganharão um CD do EP do Escombro.

“O hardcore consciente não pode parar”, afirma o baterista do Escombro, Felipe Felipeles, uma referência direta ao que se pode chamar de premissa da banda paulistana que recém lançou o EP Eutanásia Social, sucessor do debut homônimo. O Escombro é tão compromissado com o hardcore como às causas sociais, com críticas ácidas à corrupção, conformismo e descaso.

O Hardcore Por Um Mundo Mais Digno Fest foi criado para o Escombro lançar o disco de estreia, e o resultado, conta Felipe, foi acima do esperado. “Resolvemos manter a ideia e o nome. Na segunda edição, mesmo sem material novo para lançar, pegamos o gancho do lançamento do último álbum do Paura, Slowly Dying of Survival”.

Agora, na terceira edição, o quarteto faz o show oficial do lançamento do EP e do novo merch. Mas não é só isso. “Vamos aproveitar a ocasião para gravar duas músicas ao vivo, para um futuro lançamento”, adianta Felipe. No Jai, durante o festival, haverá ainda sorteio de um kit com uma camiseta e um CD de cada uma das bandas que se apresentarão no 3º Hardcore Por Um Mundo Mais Digno Fest.

Banda Institution por Camila Fontana
(Foto: Banda Institution por Camila Fontana)

INSTITUTION – Representando o selo Artico Music ao lado do Escombro, o Institution e seu hardcore metalizado com letras cantadas em português fará apenas o segundo show em 2018. A ausência nos palcos, explica o guitarrista Fábio Pereira, é devido ao processo de composição de novas músicas. “Estamos muito focados no disco novo. Vamos tocar agora, mas pode ser difícil nos ver tocar tão cedo”. A novidade da banda para o 3º Hardcore Por Um Mundo Mais Digno Fest é que terá música inédita no setlist, intitulada ‘Frêmito’.

3º Hardcore Por Um Mundo Mais Digno Fest

SERVIÇO

3º HARDCORE POR UM MUNDO MAIS DIGNO
Evento: https://www.facebook.com/events/1867071340254281
Data: 7 de julho de 2018
Horário: a partir das 16 horas
Local: Jai Club
Endereço: Rua Vergueiro, 2676 – Vila Mariana
Ingresso: R$ 12 + um quilo de alimento (ingresso sem alimento: R$ 20)
Informações: (11) 98013-0425

 

(Fonte: Erick Tedesco, Assessoria de Imprensa)
——————————————-
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Circadélica 2018 – Festival acontece nos dias 28 e 29 de julho, em Sorocaba-SP.

A edição de 2018 do festival de música Circadélica acontece nos dias 28 e 29 de julho, em Sorocaba-SP. Nessa terceira edição, o evento contará com 28 bandas/artistas de expressão nacional e de variados estilos.

Circadélica 2018 Line Up

Line up:

Sábado: TROPKILLAZ | FLORA MATOS | FRESNO | SELVAGENS À PROCURA DE LEI | ZANDER | MENORES ATOS | PARAMETHRIK | TAGORE | MY MAGICAL GLOWING LENS | JONNATA DOLL E OS GAROTOS SOLVENTES | BIKE | DEB AND THE MENTALS | MIÊTA | FONES

Domingo: EMICIDA | O TERNO | VANGUART | JALOO | A BANDA MAIS BONITA DA CIDADE | ZIMBRA | BENZIÊ | BALEIA | E A TERRA NUNCA ME PARECEU TÃO DISTANTE | GORDURATRANS | HIEROFANTE PÚRPURA | KILL MOVES | SKY DOWN | OS PONTAS

Vídeo “line-up” 2018

O line up abrange rock, indie, rap, pop, hardcore, emo, shoegaze, eletrônico e nova MPB. “A definição demorou um pouco. Gosto de pensar bastante, como se estivesse escolhendo as músicas para uma pista de dança. No fim chegamos a um resultado que nos agradou bastante”, conta Mario Bross, um dos organizadores do festival.

A primeira edição do Circadélica aconteceu em 2001. O retorno do festival, no ano passado, recebeu cerca de 7 mil pessoas e nomes de peso, como Liniker e os Caramelows, Kamau, Francisco El Hombre, Vivendo do Ócio, Boogarins, Dead Fish e Far From Alaska. Além das atrações musicais, o espaço contará com diversas lojas, food trucks, dois palcos, tatuadores e artistas circenses interagindo com o público. O Asteroid, conhecida casa de shows da cidade, também receberá eventos ligados ao festival.

Nos links abaixo você encontra informações sobre o local, ingressos, programação e tudo mais.

Site: http://circadelica.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/circadelica/

——————————————-
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Cordillera: Banda campineira lança “Ruptura” seu álbum de estreia.

Com sonoridades progressivas entre o rock e o metal a banda “Cordillera” dialoga com o enigmático e o abstrato no álbum “Ruptura”.

(Foto: Cordillera por Pablo Gea)

Ruptura é o debut do “Cordillera”. A banda de Campinas apresenta oito faixas autorais embaladas num rock progressivo marcado pelo contraste entre o refinamento de ambientações atmosféricas e a intensidade do rock e do metal, presente na forte carga dramática das canções. O registro ainda tem momentos viscerais de peso e crueza, cuja estética passa pelo abstrato e pelo enigmático.
Formado por Victor Oliveira (vocal), Raphael Moretti (guitarra), Pedro Ghoneim (baixo), Tarcísio Barsalini (guitarra) e Matheus Vazquez (bateria), o “Cordillera” evidencia em “Ruptura” os distintos “backgrounds” musicais de seus integrantes e a fusão de gêneros que criou a experiência sonora contrastante do álbum. As influências abrangem o rock progressivo clássico do “Pink Floyd”, o prog contemporâneo de “Pain of Salvation” e de “Steven Wilson” e o rock dos anos 90 de bandas como “Soundgarden” e “Alice in Chains”.
O nome do álbum de estreia, no entanto, não se refere somente à fusão de gêneros apresentada, mas também à quebra de expectativa sobre a própria construção musical e ao rompimento com tendências de cenários já conhecidas. “Ruptura” foi criado para transcender – romper com o que está. Isso acontece tanto na sonoridade quanto no “mindset” do “Cordillera”, que planejou e criou toda uma estrutura para produzir o material.
O processo de pré-produção do álbum, que foi gravado no estúdio “Family Mob”, em São Paulo, durou um ano e foi feito pela própria banda, de forma independente. Cada etapa foi cuidadosamente elaborada e trabalhada com dedicação e comprometimento para marcar o público com um som que encante pela sua construção, sensibilidade e contemporaneidade.

2018 Cordillera Ruptura

 

Álbum: Ruptura
Lançamento: 18/06/2018

Tracklist

01. Noumenon
02. Uneaseness
03. On the Top of the Wall
04. Monologue
05. Dialogue
06. Ruptura
07. Misplaced
08. A New Beginning

Ouça o álbum no “Spotify”.

Do minimalismo ao “punch” da guitarra, a proposta sóbria e técnica da banda pode ser conferida no videoclipe da música “Noumenon”, que foi escrito, produzido e dirigido pela produtora “Muto”. Veja o Clip!

Conheça mais sobre a banda nas redes sociais.

https://www.facebook.com/cordillerabr
https://www.deezer.com/br/artist/12948497
https://www.youtube.com/channel/UCgE6v_GLItrJtK1e99QCKsw
https://twitter.com/Cordillerabr
Site: https://www.cordillerabr.com/

 

(Fonte: Erick Tedesco, Assessoria de Imprensa)
——————————————-
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Fabiano Negri disponibiliza em “streaming” o EP da ótima “Unsuspected Soul Band”.

Unsuspected Soul Band

(Foto: Divulgação)

A Unsuspected Soul Band foi uma banda formada por Fabiano Negri (vocal), Ric Palma (guitarra), Eliezer Oliveira (guitarra), Yon Berry (baixo) e César Pinheiro (bateria) em 2013.
O time completo contava com os vocais de apoio de Nara, Ni e Tânia e pelo naipe de metais formado por Naiara Martini (alto sax), Junior Villas Boas (trompete), Stéfano Mazzo (trompete) e Bruno Coelho (trombone).
O EP consiste em cinco composições de Fabiano Negri, numa onda totalmente voltada para a soul music, e uma versão para I Want You Back, clássico imortalizado pelo grupo The Jackson Five.
Para o lançamento nos sites de streaming, o EP foi remixado e remasterizado por Ric Palma, no estúdio Minster, ganhando nova roupagem e excelente qualidade sonora.

O próprio Fabiano Negri nos fala sobre os momentos vividos com a banda: “A Unsuspected Soul Band me proporcionou dois anos de muita diversão. Sou fanático por soul, funk e pelos grandes artistas lançados pela Motown Records. Juntei essa banda para poder prestar uma homenagem para grandes canções e grandes artistas. É um dos meus momentos preferidos como compositor. A música é alegre, dançante e despretensiosa. Fico feliz em estar lançando esse trabalho nos sites de streaming.”

Ouça o EP no “Spotify”:

Veja o vídeo da música “I Want You Back”.

Veja o clip da música “Unsuspecting”.

 

(Fonte: Fabiano Negri)
——————————————-
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Water and Man: Banda brasileira radicada em Nova Iorque, divulga música inédita.

Water and Man por Bryan Trindade
(Foto: Water and Man por Bryan Trindade)

Banda brasileira radicada em Nova Iorque, a Water and Man lança mais uma canção presente no segundo disco, “Phantasie”. Depois de mostrar a força da faixa-título, o single “Dreams of Love” chega aos canais de streaming e evidencia ainda mais o talento dos músicos dentro dos gêneros indie e synthpop.

Aos poucos o indie pop da Water and Man vai montando todo o quebra cabeça do álbum “Phantashie”. O single “Dreams of Love” é mais uma nova peça, que apresenta uma atmosfera dançante, mas ao mesmo tempo de frescor introspectivo – nada mais que um encontro relaxante e potente entre os sintetizadores e os riffs de guitarra. A letra fala da importância de parar para recuperar o fôlego e ganhar perspectiva – mesmo em meio aos sonhos de amor.

“Dreams of Love” faz parte do segundo disco “Phantasie”, sucessor do elogiado “Into The Infinite”, com previsão de lançamento para agosto. A banda é liderada pelo vocalista, multi-instrumentista e produtor Vic Delnur, e composta por Lip dos Santos (teclados), Eric Maciel (guitarra, teclados), Flavio Ferraz (baixo, sintetizador) e Milton Arantes (bateria). Produzido por Vic Delnur, o disco conta também com a mixagem de Daniel Schlett (Modest Mouse, The War on Drugs) e Victor Chicri (Gal Costa, Seu Jorge, Bebel Gilberto) – ambos ganhadores do Grammy.

Ouça “Dreams of Love”:

Ouça também “Phantasie”, primeiro single do futuro álbum.

 

(Fonte: Daniel Pandeló Corrêa, Assessoria de Imprensa)
——————————————-
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

1 2 3 4