Versus Mare : A banda paulista lança “Cordilheira” seu primeiro “full album”.

Banda Versus Mare
(Foto: Banda Versus Mare, por Thiago Ramos)

A banda Versus Mare, natural de Diadema/SP e uma das novas expoentes de rock do ABCD Paulista, lançou recentemente seu primeiro disco, intitulado “Cordilheira”. Depois dos EPs Enfrenta (2015) e No Meio Do Caminho (2017), é a vez do primeiro “full álbum” da banda. São 12 faixas autorais, que evocam e homenageiam o continente sul-americano.

Veja também: Novo Clip = “Versus Mare – O Enforcado”

Veja também: Novo Clip = “Versus Mare – Navalha & Caos”

A mistura das distorções pesadas de guitarra com ambientações mais cálidas fazem de Cordilheira um manto sonoro variado, porém coeso. Tal diversidade reflete e busca amplificar as vozes diversas que ecoam nos quatro cantos do continente e que ainda hoje lutam por seu lugar. O disco marca o primeiro lançamento pelo selo 1100 Discos e mostra uma nova identidade da banda, com mais maturidade musical e poética, além de reforçar a mistura de gêneros, culturas e estilos que já são característicos da Versus Mare. Cordilheira está disponível nas principais plataformas de streaming de música.

Álbum: Cordilheira
Lançamento: 07/03/2019

Tracklist

01 – Equatorial
02 – Navalha & Caos
03 – Pétala
04 – O Enforcado
05 – Sala em Chamas
06 – Incêndios
07 – Rupestre
08 – Galeões
09 – Saudação
10 – Continente Extraviado
11 – Sol de Pedra
12 – Cordilheira

Versus Mare é:
Gui Nascimento (Voz/Guitarra)
Adonis Guerra (Voz/Guitarra)
Thiago Ramos (Baixo/Voz)
Romulo Oliveira (Bateria)

Ouça o álbum no Spotify:

Se preferir ouça o álbum na sua plataforma de “streaming” preferida.

Youtube: https://bit.ly/2Hjkl0A
Bandcamp: https://bit.ly/2HigjFH
Deezer: https://bit.ly/2TxvTE1

Conheça mais sobre a banda Versus Mare” nas redes sociais:

https://www.facebook.com/versusmare
https://twitter.com/versusmare

 

(Fonte: Romulo Oliveira, Baita Produção)
——————————————-
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Desert Crows : A banda goiana apresenta “Age Of Despair”, seu álbum de estreia.

(Foto: Banda Desert Crows / Divulgação)

Uma das maiores revelações do stoner rock goiano – que já produziu nomes como Black Drawing Chalks, MQN e Hellbenders -, a Desert Crows lança seu disco de estreia. Age of Despair traz um stoner rock repleto de fuzz e com influências de grunge e rock n’ roll. O álbum, preparado desde 2017, chega às plataformas de streaming e em CD pelos selos Monstro Discos e Milo Records, com arte gráfica do fenomenal Cristiano Suarez.

Age of Despair foi gravado no Estúdio Resistência e conta com oito faixas de stoner tradicional, com uma produção moderna, envolvidas por uma avalanche de riffs pesados e viajantes, com batidas certeiras e empolgantes.

Quem conhece o single ‘Loose Me’, de 2018 (ainda em versão lyric video), sabe o poder de fogo do power trio Vitor Mercez (guitarra e vocal), Raul Martins (baixo) e Pedro Nascimento (bateria). A música, presente em Age of Despair, é densa, cadenciada e com uma melodia que gruda na cabeça. Os outros sigles previamente lançados, ‘Even The Devil Cries’ e ‘Skin’, também estão no álbum.

O lema “fuzzy and heavy tones” faz mesmo jus à proposta dos jovens corvos desérticos, que lançam um debut vigoroso, com a promessa de fazer ainda mais barulho quando executado ao vivo nos shows que anunciarão em breve. Altamente indicado para fãs de Kyuss, Stoned Jesus, Sleep e Uncle Acid and the Deadbeats.

Álbum: Age Of Despair
Lançamento: 12/04/2019

Tracklist

01 – Desert Crows
02 – Loose Me
03 – Even The Devil Cries
04 – Skin
05 – Sweet Liar Love
06 – Born in Blood
07 – Thoughts
08 – Age Of Despair

Ouça o álbum no Spotify:

Conheça mais sobre a banda “Desert Crows” nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/desertcrowsbr/
Twitter: https://twitter.com/desertcrowsbr

(Fonte: Monstro Discos)
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Grindhouse : O quarteto paulistano de stoner lança seu disco de estreia.

(Foto: Grindhouse, por Mila Feiten)

A música produzida pelo Grindhouse está longe de ser obsoleta – o conceito do ultrapassado, no entanto, é refletido nas letras do disco de estreia, Built in Obsolescence. O stoner rock executado pelo quarteto paulistano – que fará a abertura para o aguardado show dos suecos do Graveyard dia 18/5 em São Paulo – é visceral, encorpado, com doses de fuzz, riffs empolgantes e atmosferas atemporais. O álbum contém 11 faixas e acaba de ser lançado de forma independente em CD e nas principais plataformas de streaming pela Abraxas.

Built in Obsolescence foi gravado no requisitado Estúdio Costela, com produção de Gabriel Zander (Zander, Radical Karma). O Grindhouse está na ativa desde 2009 e, antes deste álbum completo, a banda tinha lançado o 7 polegadas Chosen One pela Monstro Discos. Hoje, a banda é Leandro Carbonato (voz e guitarra), Roger Marx (baixo), Luiz Natel (voz e guitarra) e Bart Silva (bateria).

O conceito do disco gira em torno da obsolescência programada, um termo usado para definir algo que já nasce com prazo de validade, como uma televisão em preto e branco, uma fita VHS, relações interpessoais abusivas e sensações de prazer. As artes gráficas também refletem sobre a obsolência: no encarte, os filhos do vocalista Leandro aparecem vestidos com fantasias que eles mesmos confeccionaram a partir de objetos obsoletos, achados em nichos de reciclagem.

O Grindhouse tem shows memoráveis no currículo: foi eleito o melhor show nacional no Goiânia Noise Festival de 2012, pelo jornal O Globo. Também incendiaram a plateia na abertura para os norte-americanos do Red Fang, que estreou no Brasil em 2012 pela Powerline (produtora de Leandro Carbonato) e reafirmou o poder de fogo junto ao público stoner na abertura para os alemães do Kadavar, em 2018.

Álbum: Built in Obsolescence
Lançamento: 29/03/2019

Tracklist

01 – Centaurus
02 – Cleanliness
03 – T.I.T.I.
04 – Liquid Brain
05 – White Lies
06 – Right Hand
07 – You Stink Mthrfckr
08 – Desert of Affliction
09 – Television Never Lies
10 – Burn Like Fire
11 – Red Pill

Clique aqui, e ouça o álbum na sua plataforma de streaming favorita.

Conheça mais sobre a banda “Grindhouse” nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/ghhband/
Instagram: https://www.instagram.com/ghhband/

(Fonte: Erick Tedesco, assessoria de imprensa)
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

“Leeds” une progressivo ao rock blues em “Tormenta”, seu novo álbum de inéditas.

(Foto: Banda Leeds, por Renan Facciolo)

Tormenta, o novo álbum de estúdio do power trio Leeds, de Santo André, marca a estreia da banda no selo da Abraxas e já está nas principais plataformas de streaming, além de lançado em CD de forma independente. Moderno, com sintetizadores, com andamentos progressivos em meio ao característico rock blues, a Leeds volta com um álbum bastante peculiar, minucioso e com temas líricos pertinentes ao mundo de hoje.

Com o disco em mãos e na internet, a Leeds faz o show de apresentação de Tormenta neste sábado, 30 de março, no 74 Club, em Santo André.

Gravado em um formato ao vivo em abril de 2018, foi produzido pela própria banda e conta com a engenharia de som, mixagem e masterização realizada por Alexandre Fontanetti e Leandro Henrique no estúdio Space Blues em São Paulo. A arte da capa feita por Karl Alexander Wilke (Leipzig 1879/1954), que trabalhou como ilustrador da revista Die Muskete, revista semanal humorística editada durante a Primeira Guerra Mundial, retrata o imaginário obscuro da banda refletido em todas as composições contidas no álbum.

O uso do teclado e sintetizador é fundamental em Tormenta. É um ponto primordial da atmosfera em quase todas as músicas do álbum. “Abordamos esse álbum de uma maneira diferente, pois decidimos que o gravaríamos ao vivo. Com a presença nova de teclado e sintetizador, todas as músicas foram compostas enquanto ensaiávamos incessantemente por meses através de jams até o dia da gravação. Conseguimos captar nas músicas a luz e sombra”, destaca o baixista Leandro Sant’Ana.

O vocalista e guitarrista Renan Paiva reforça as mudanças na sonoridade, que tornam Tormenta uma peça diferente no rock nacional. “Esse álbum é o resultado da nossa evolução através desses anos, com novos elementos e, claro, carregado de mensagens durante as faixas”. Já o baterista Willian Paiva fala de características que rondam Tormenta. “Temos aqui é um álbum espontâneo e raivoso. Algumas faixas foram capturadas no primeiro take”.

Álbum: Tormenta
Lançamento: 29/03/2019

Tracklist

01 – Tormenta, Pt. I
02 – Ódio e Caos
03 – C. O. M. A.
04 – Guerra
05 – Tormenta. Pt. II

Clique aqui, e ouça o álbum na sua plataforma de streaming favorita.

Conheça mais sobre a banda “Leeds” nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/bandaleeds/
Twitter: https://twitter.com/bandaleeds

(Fonte: Erick Tedesco, assessoria de imprensa)
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

“Carbônica” une rock de garagem e realidade política brasileira em álbum de estreia.

(Foto: Banda Carbônica, por Isabelle Andrade)

Incendiar o debate político e social por meio do rock ‘n’ roll é um dos objetivos do power trio Carbônica. Com mais de 10 anos de estrada, a banda celebra sua jornada com um álbum que analisa os últimos anos da realidade brasileira e foca no futuro através de riffs poderosos e letras provocadoras. “Carbônica” já está disponível nas plataformas de música digital.

Fundado em 2007 na cidade de Guarulhos, o trio é formado atualmente por Will (guitarra e vocal), Vini (baixo e sampler) e Alex (bateria) e, desde o início da sua trajetória, assumiu o compromisso com uma cena independente ativa e acessível, mantendo um olhar para a realidade urbana e periférica que reflete nas letras do disco.

Os acontecimentos da política no Brasil, os problemas de manutenção das barragens de mineradoras, respeito a minorias e busca por uma cidade mais acessível se tornaram bandeiras da banda e se mostram mais atuais do que nunca no álbum de estreia, que reúne faixas dos EPs lançados nos últimos anos e cinco músicas inéditas. Tudo isso embalado por uma roupagem que vai do disco-punk ao “drum and bass”, do blues ao garage.

“Nós acabamos de completar 10 anos de estrada e as 10 músicas desse álbum são o retrato dessa trajetória, que é fazer rock com tesão, se divertir e expor nossas verdades através do nosso trabalho artístico”, conta o guitarrista e vocalista Will.

Álbum: Carbônica
Lançamento: 15/03/2019

Tracklist

01 – Inflamável
02 – Se a Cidade Parar
03 – Sangue
04 – Agora Eu Te Bebo
05 – Augusta
06 – Você Quer Pecar
07 – Lama
08 – Loucura
09 – Quem Nunca
10 – Até No Caos

Clique aqui, e ouça o álbum na sua plataforma de streaming favorita.

Veja aqui, o clip da música “Até no caos”.

Conheça mais sobre a banda “Carbônica” nas redes sociais:

Site: http://www.carbonica.com.br/
YouTube: https://www.youtube.com/user/carbonicarock
Instagram: https://www.instagram.com/carbonicarock/
Twitter: https://twitter.com/bandacarbonica

(Fonte: Daniel Pandeló Corrêa, assessoria de imprensa)
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

A banda cearense “Mad Monkees” lança o EP “Guerra”.

(Foto: Banda Mad Monkees, por Daniel Mangualde)

A banda cearense Mad Monkees estreia na Abraxas Records com o EP Guerra, já disponível nas plataformas de streaming. São três faixas de um roque repleto de riffs e batidas fortes, com referências de stoner e hard rock.

Produzido por Klaus Sena, o EP composto por Felipe Cazaux (guitarra/voz), Renan Maia (baixo), Capoo Polacco (guitarra) e PH Barcellos (bateria) sucede o autointitulado disco de estreia, então produzido pelo lendário Carlos Eduardo Miranda e pelo renomado Rodrigo Sanches. Teve, neste meio tempo, o single Are You Going Mad?, com a participação de Cris Botarelli (Far From Alaska), e teve ótima recepção do público da banda.

Sete foi o primeiro single de Guerra. Lançada perto das eleições, a música – a única em português – traz uma crítica aos privilégios dos políticos brasileiros. “O single faz uma analogia entre os pecados capitais e as regalias dos políticos e os seus direitos adquiridos, enquanto o povo perde direitos trabalhistas e vive na lama”, explica o vocalista e guitarrista Felipe Cazaux.

O primeiro álbum da banda, o “Mad Monkees”, figurou em nossa lista de melhores álbuns do rock nacional de 2017, confira aqui.

Veja também, outros vídeos da banda Mad Monkees divulgados aqui no canal.

Álbum: Guerra (EP)
Lançamento: 22/03/2019

Tracklist

01 – My God (Doesn’t Care About Your Stuff)
02 – 7
03 – Bomb and Fire

Clique aqui, e ouça o EP na sua plataforma de streaming favorita.

Conheça mais sobre a banda “Mad Monkees” nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/madmonkees/
Twitter: https://twitter.com/mad_monkees

(Fonte: Erick Tedesco, assessoria de imprensa)
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

“The Mönic” lança videoclipe para primeira faixa de álbum inédito.

(Foto: Banda The Monic, por Marcelle Stavale)

Os primeiros segundos de “Mexico” já indicam que se trata de um garage rock: guitarras distorcidas, bateria marcante e baixo que dá ainda mais peso ao som. Quando a vocalista e guitarrista Alê Labelle entoa os primeiros versos a presença feminina logo aparece, remetendo a outras bandas do gênero que possuem suas frontwomen. Analisando a formação do The Mönic, porém, percebe-se que no grupo o papel das mulheres é total e muito além de posições pré-definidas — um exemplo de que não há limitações para o protagonismo feminino na cena. Assim, a banda disponibiliza hoje (22) o primeiro single do álbum “Deus Picio”, que será lançado pela Deck. A faixa também conta um criativo clipe protagonizado pelas artistas e seus amigos.

A letra do lançamento aborda o relacionamento entre pessoas que se gostam, mas têm medo de criar maiores laços afetivos ou externalizar seus sentimentos. Além de Alê, Dani Buarque (guitarra e voz), Joan Bedin (baixo e voz) e Daniely Simões (bateria) formam o The Mönic e tocam na faixa, de andamento rápido e refrão marcante. “‘Mexico’ nasceu de um riff despretensioso que inventei no intervalo de um ensaio, uma brincadeira. Não havia visto nada demais nele, mas a Dani (Simões) falou que daria uma ótima música e fez questão de criar uma linha de bateria e de que trabalhássemos aquilo. Na hora de finalizarmos a demo do disco, essa composição estava sem letra; a Alê então escreveu uma letra de amor. Achamos uma combinação muito interessante, pois é a faixa mais pesada do álbum ao mesmo tempo que é uma das únicas que aborda temas amorosos”, explicou Dani Buarque, garantindo que a insistência da baterista em trabalhar a canção foi essencial.

O videoclipe do single, dirigido por Mateus Brandão, brinca com seu título, e simula uma novela mexicana em tom de sátira e bom humor. As garotas — responsáveis pelo roteiro — interpretam diferentes esposas e namoradas que se juntam para um jantar acompanhadas dos companheiros. Ao longo da noite, porém, surgem intrigas que levam a uma série de brigas e traições. A trama também critica a busca pela manutenção das aparências e o falso moralismo. Toda a fotografia e os efeitos do vídeo remetem às novelas, com o estilo e tomadas típicas do gênero que se popularizou na televisão brasileira nas décadas de 90 e 2000.

Veja o Clip da música “Mexico”.

Conheça mais sobre a banda “The Mönic” nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/themonicband/
Instagram: https://www.instagram.com/TheMonicband/
YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCYFqWqzK77U8C7VmbyHfnnQ

(Fonte: Batucada Comunicação)
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

1 2 3 4 5 10