The Doors nos cinemas: “Live At The Bowl ’68 Special Edition”

Em 5 de julho de 1968, o The Doors iluminou o palco do “Hollywood Bowl” com uma performance lendária, que é amplamente considerado o melhor registro ao vivo da banda.

Agora, em 4 de novembro de 2021, em comemoração ao 50º aniversário do último álbum de estúdio do The Doors, LA WOMAN (1971), “The Doors: Live At The Bowl ’68 Special Edition” transformará cinemas em salas de concerto, dando aos fãs do “The Doors” ao redor do mundo, a experiência mais próxima de estar lá ao lado de Jim Morrison, John Densmore, Ray Manzarek e Robby Krieger, que afirmou: “a mágica que foi feita para melhorar a qualidade de imagem e som deste show fará com que todos se sintam como se estivessem tem um lugar na primeira fila do Hollywood Bowl.”

O filme foi remasterizado no impressionante Dolby ATMOS® (quando disponível) e som surround 5.1 mixado pelo engenheiro e mixador original do Doors, Bruce Botnick, e traz extras exclusivos: uma performance musical inédita e conversa com John Densmore e Robby Krieger discutindo LA WOMAN.

Veja o teaser do show.

Veja a performance de “Light My Fire” durante o show.

“The Doors: Live At The Bowl ’68 Special Edition” apresenta o show em sua totalidade, incluindo “Hello, I Love You”, “The WASP ( Rádio Texas e o Big Beat) ”,“ Light My Fire ”e“ The End ”.

Maiores detalhes e ingressos, no site: https://www.thedoorsfilm.com/
.

*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Livro: “Jim Morrison: Ninguém sai vivo daqui”

Autores: Danny Sugerman e Jerry Hopkins
Editora: Belas Letras
Ano de Lançamento: 2021
Tradução: Renato Rezende
Título Original: “No One Here Gets Out Alive” (1980)

 

Sinopse da Editora

O fundador do The Doors protagonizou uma das histórias mais emblemáticas do rock, uma tragédia moderna que o elevou à condição de lenda. Carismático, brilhante, genial e genioso, Jim rejeitou todas as formas de autoridade e, como um explorador obcecado, testou “os limites da realidade para ver o que aconteceria”. Escrito por um dos confidentes e assessores dos Doors, que conseguiu um emprego no escritório da banda aos 13 anos, para responder carta de fãs, e compartilhou da intimidade de Jim Morrison como poucos – a ponto de o próprio Jim tê-lo incentivado a escrever sobre música – Ninguém sai vivo daqui tornou-se o livro mais cultuado de todos os tempos sobre o The Doors, com mais de 2 milhões de exemplares vendidos. “A biografia mais importante do The Doors, que serviu de inspiração para o aclamado filme de Oliver Stone de 1991” (Rolling Stone).

– Leia e saiba mais no site da Editora Belas Letras.

– Clique aqui, e leia um trecho do livro.

 

O livro já foi lançado no Brasil em 2013 pela “Editora Novo Século”, e tinha como título: “Ninguém Sai Vivo Daqui – Biografia Jim Morrison”.

Sinopse do lançamento de 2013 pela Editora Novo Século.

Conheça a vida, a arte e os segredos de Jim Morrison, protagonista de uma das mais impressionantes tragédias modernas. A biografia Ninguém sai vivo daqui é o resultado de sete anos de escrita, e mostra em toda sua complexidade o cantor, filósofo, poeta, delinquente e fundador do The Doors. Escrito por Jerry Hopkins, autor de Elvis: the biography, e Danny Sugerman, confidente e assessor dos Doors, o livro tornou-se best-seller do The New York Times, com mais de 2 milhões de exemplares vendidos e serviu como principal fonte do filme de Oliver Stone, The Doors .

– Clique aqui, e leia um trecho do livro, dessa edição de 2013.