Melyra – “A banda de Heavy Metal carioca lança seu álbum de estreia.”

Melyra por Eliana Tesch
(Foto: Banda Melyra por Eliana Tesch)

Maturidade e peso se refletem nas 10 faixas de “Saving You From Reality”, o disco de estreia da Melyra. O álbum conceitual traz como temática central a fuga da realidade como forma de escapar dos problemas, ou mesmo de não enlouquecer. Atual e pulsante, o disco mostra que o metal nacional continua firme, forte e necessário.

“É um grande passo e uma grande conquista. Estamos felizes por conseguirmos expressar esses sentimentos em música! Esse álbum contém muitas das nossas questões e muitas das nossas respostas, que andam lado a lado. Sentimos que com ele estamos prontas para alçar voos mais longos e crescer como banda”, explica Fe Schenker, guitarrista e backing vocal.

Além de Fe, a Melyra é formada por Nena Accioly (baixo e guturais), Roberta Tesch (guitarra e backing vocal) e Verônica Vox (voz). O grupo carioca ficou conhecido no cenário do metal nacional após abrir o show do Arch Enemy, no Circo Voador (RJ) e participar do disco em tributo aos 25 anos de carreira de Edu Falaschi, ex-vocalista do Angra. No currículo elas também trazem o EP “Catch Me If You Can” (2014) e os singles “Run and Burn” e “Dead Light”.

A fuga da realidade abordada no disco não foi premeditada. Após o processo de composição, durante a fase de seleção das músicas é que a temática surgiu.

“Em estúdio, nós costumamos sentar juntas pra ‘montar’ a música como achamos que ela deve soar, sempre com a colaboração de todas. Depois partimos pros arranjos com todos os instrumentos e linha vocal. Normalmente começamos pelos riffs de guitarra, mas não é uma regra. A ‘Poison of Myself’ começou da letra”, exemplifica Fe.

Gestado durante dois anos, o álbum de estreia reflete as emoções e pensamentos das integrantes da banda.

“Assim como todo mundo, travamos nossas lutas diárias em busca da melhor resposta que poderíamos dar para nós mesmas e para o mundo. Porém, alguns dias precisamos fugir da realidade. São uns dias que a gente precisa se desligar de tudo pra poder sobreviver até a noite seguinte”, define Fe.

O álbum “Saving You From Reality” foi produzido, gravado, mixado e masterizado por Celo Oliveira, do estúdio Kolera. A capa foi criada por Carlos Fides (Evergrey, Noturnal, Almah, Edu Falaschi), enquanto o encarte é de Daniel Accioly e as fotos de Gabriel Peres.

2018 - Melyra - Saving-You-From Reality

Álbum: Saving You From Reality
Lançamento: 31/10/2018

Tracklist

01 – My Delirium
02 – Fantasy
03 – Dead Light
04 – Eye of the Maze
05 – Lucid Dream
06 – Faded
07 – Ashes to Ashes
08 – Zizi
09 – Poison of Myself
10 – Run & Burn

Clique aqui, e ouça o álbum na sua plataforma de streaming favorita.

Clique aqui, e veja o clip da música “Dead Light”.

 

Conheça mais sobre a “Melyra” nas redes sociais.

Twitter: https://twitter.com/melyraband
Facebook: https://www.facebook.com/melyraband
YouTube: https://www.youtube.com/user/melyraband

 

(Fonte: Júlia Ourique, Assessora de Imprensa)
——————————————-
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Ocean Drive 85: Parceria pioneira no segmento AOR/Melodic Rock no Brasil.

Ocean Drive 85.jpg

O ano de 2018 ainda não acabou e as bandas MARENNA e ADELLAIDE continuam colhendo frutos de seus trabalhos, ambos lançados mundialmente, este foi o ano destes se consolidarem, e já temos aqui uma grande surpresa, após os lançamentos de seus recentes álbuns, “Livin’ No Regrets” e “Flying High” respectivamente, os vocalistas, Rod Marenna (Marenna) e Daniel Vargas (Adellaide) acabam de se unir em um novo projeto chamado OCEAN DRIVE 85, o qual lançaram no último dia 03 de outubro o primeiro single em parceria, chamado “I’ll Never Wait”.

A ideia inicial é lançar alguns singles de forma digital para seu nicho de fans, com isso promover o projeto e o trabalho de ambos os vocalistas, explorando toda sua versatilidade vocal no segmento AOR/Melodic Rock. O projeto conta com influências de bandas atuais como WORK OF ART e LIONVILLE e elementos nostálgicos e oitentistas de SURVIVOR e JOURNEY, calcado em melodias de teclados e vocais.

Ambos experientes e atuantes desde os anos 90, a aliança veio de forma natural, uma vez que ambos se conhecem há algum tempo e por terem dividido o mesmo selo, a dinamarquesa LIONS PRIDE MUSIC, que faz a distribuição dos trabalhos do MARENNA e ADELLAIDE respectivamente.

Para dar vida a este projeto, a produção ficou por conta do produtor musical Jonas Godoy, que já trabalha com a produção dos álbuns do MARENNA, sendo o responsável pela gravação, produção, mixagem a masterização. Para as gravações dos vocais de Daniel Vargas, o projeto contou com a colaboração do produtor Tito Falaschi que fez a captação em São Paulo e a arte gráfica e produção do Lyric Vídeo ficou a cargo de Reinan Passos.

…”Sempre tivemos vontade em trabalharmos juntos misturando nossas influências e pelo fato de ambos sermos compositores, isso facilita muito, além de Daniel ser um ótimo tecladista e ter a sensibilidade necessária para este projeto, tudo somou”…. Comenta Rod Marenna.

Assista agora o Lyric Video de “I’ll Never Wait”

Links oficiais:

Facebook: www.facebook.com/oceandrive85aor
YouTube: http://bit.ly/OceanDrive85Aor

Links Relacionados:

www.facebook.com/MarennaOfficial
www.facebook.com/adellaide.official

 

(Fonte: Divulgação – Press Ocean Drive 85 AOR por Rodrigo Netto)
——————————————-
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Hell Pigs: “Nobody Next to Me” é o single de estreia da banda paulistana.

Banda Hell Pigs por Caike Scheffer
(Foto:Banda Hell Pigs por Caike Scheffer)

Tudo começou por uma publicação no Facebook, que reuniu 5 mulheres apaixonadas por rock ‘n’ roll, e assim, em dezembro de 2015 nasceu a HELL PIGS. As influências musicais são das mais variadas, decolando do “Classic Rock”, sobrevoando o “Heavy Metal” e pousando sobre o “Grunge”.
Atualmente a banda está em sua segunda formação, consolidada em abril de 2017, e conta com “Bru Lima” (Baixo), Fernanda Fratta (Vocal), Graziela Zina (Guitarra), Hell Gikas (Guitarra) e Hell Loureiro (Bateria).
No último dia 20 de setembro, a banda lançou seu primeiro single, “Nobody Next to Me” que já se encontra disponível nas principais plataformas digitais.

Veja o “Lyric video da música “Nobody Next to Me”.

 

Logo Hell Pigs

Conheça mais sobre a “Hell Pigs” nas redes sociais.

Facebook: https://www.facebook.com/hellpigsband/
Instagram: https://www.instagram.com/hellpigs/
YouTube: https://www.youtube.com/c/hellpigs
Twitter: https://twitter.com/hell_pigs

____________________________________________
(Fonte: Graziela Zina, guitarrista da Hell Pigs)
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Bears Witness: “Book of Bob” é o primeiro trabalho de estúdio da banda paulistana.

Banda Bears Witness por Paulo Silveira

(Foto: Banda Bears Witness por Paulo Silveira)

Em seu álbum de estreia, o quarteto paulistano apresenta um sludge irreverente calcado no stoner e no doom metal.

‘Book of Bob’ é o primeiro trabalho de estúdio da Bears Witness, uma tonelada de riffs sujos e lamacentos e letras remetem a uma lenda urbana do ABC paulista da década de 1970, entre humor e tosquices, e marca também a estreia da banda na Abraxas Records.

Ouça o álbum no Spotify, ou na sua plataforma de streaming preferida.

Lucas Guanaes (vocal, baixo), Fernando Giunti (vocal, guitarra), Paulo Silveira (guitarra), Rodrigo Rousseaux (bateria) se enfurnaram no estúdio Costella, junto ao produtor Gabriel Zander, e assim nasceu ‘Book of Bob’. As letras contam a saga, entre nascimento e morte, do Menino Diabo do ABC, baseado em uma história inventada pelo jornal Notícias Populares em 1975.

Na semana de lançamento de ‘Book of Bob’, o Bears Witness também liberou o videoclipe da música ‘Harbinger’, com produção de Paulo Benjamin, a partir de imagens captadas em alguns dos shows realizados ano passado. Confira:

O show de lançamento do disco de estreia já está agendado. Acontece dia 22 de setembro na Dissenso Lounge, um dos espaços mais bem equipados da capital paulista, e terá Dum Brothers e Tranco como bandas convidadas. Veja os detalhes do show e marque presença aqui.

Artista: Bears Witness
Álbum: Book of Bob
Data de lançamento: 14/09/2020

 

Conheça mais sobre a banda “Bears Witness” nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/BearsWitness
Bandcamp: https://bearswitness.bandcamp.com/

(Fonte: Erick Tedesco, assessoria de imprensa)
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Ultramen: Banda gaúcha lança seu novo álbum de estúdio, “Tente Enxergar”.

Banda Ultramen por Ricardo Lage
(Foto: Banda Ultramen por Ricardo Lage)

“Tente Enxergar” é o quinto álbum de estúdio da banda gaúcha Ultramen, e marca a volta do grupo aos estúdios após doze anos da estreia de “Capa Preta” (2006). Com influências que passam pelo rock, reggae, funk e hip hop, “Tente Enxergar” conta com a produção musical de Glauco Minossi e, segundo o tecladista Leonardo Boff, mistura todas as referências “como já é de costume dentro das receitas da banda”. Com lançamento em CD e K7 pela gravadora Hearts Bleed Blue (HBB), o álbum foi lançado hoje nas principais plataformas digitais, e em breve sairá também em LP.

 

2018 - Ultramen - Tente Enxergar

Álbum: Tente Enxergar
Lançamento: 31/08/2018
Gravadora: Hearts Bleed Blue (HBB)

Tracklist

01 – Pineal
02 – Tente Enxergar
03 – Fala por ti
04 – Felicidade Espacial
05 – Tive Tudo
06 – O chaveiro
07 – Going Crazy
08 – Hedonistas Hediondos
09 – Boom Clack (feat. Roze Rodriguez, Carla Zhammp & Negra Jaque)
10 – Robot Baby
11 – O Futuro É Amanhã
12 – A Humanidade

Ouça o álbum neste Link em sua plataforma de streaming preferida.

Veja o Clip da música “Felicidade Espacial”.

Para celebrar o lançamento do álbum, a UItramen divulgou um texto assinado pelo músico e apresentador Luiz Thunderbird. Confira abaixo.

“TENTE ENXERGAR”

(Por Luiz Thunderbird)

A banda Ultramen vem dos anos 90 e chegou à maturidade no século XXI. Levou sete anos pra gravar o primeiro disco, em 1998. Já no segundo álbum, “Olelê”, fechou a década com estilo. Eu conheci os rapazes dois anos depois, quando fizemos parte da mesma gravadora. Eu lançava “Rock’n’Roll”, com os Devotos DNSA, e a Ultramen lançava “O Incrível Caso da Música que Encolheu e Outras Histórias”. Por conta deste disco, produzido por Daniel Ganjaman, em 2002, fizemos alguns shows com as duas bandas juntas. Convivemos bastante em coletivas de lançamento e shows promocionais em emissoras de rádio e nos aproximamos.

A banda de excelentes músicos, com ideias incríveis e astral elevadíssimo, tinha tudo pra assumir o primeiro lugar na preferência popular. Estava tudo ali: hits radiofônicos, verdades, provocações, reflexões. Eu coloco aquele disco como um dos melhores daquele ano, mas a vida é assim mesmo: uma banda tem que amar muito o que faz em estúdio, no palco, nos ensaios, nos momentos difíceis e prazerosos, no convívio constante, nos picos criativos, nos impasses também. Depois de mais quatro anos, a Ultramen lançou “Capa Preta”. Isso mesmo, bom nome de disco pra esta banda que é tarja preta na medicação, faixa preta no karatê, pretos na alma, pretos no estilo, as mesmas influências que desenharam sua trajetória bacana.

Houve o momento de Tonho Crocco lançar seus trabalhos solo, de Malásia estender suas atividades na TV, um hiato com a banda. Eu ficava lamentando o fato, pois sempre gostei da Ultramen, mas fãs de verdade respeitam a caminhada. Eu sabia que eles voltariam com um disco novo pra me alimentar, pra me fazer dançar, pra me fazer cantar junto, ouvindo as músicas enquanto dirijo meu carro por São Paulo. E esse momento chegou!

Eu tive o privilégio de receber o disco novo antecipadamente. E é isso que está acontecendo. Estou saboreando cada faixa de “Tente Enxergar”. Eles estiveram no Thunder Radio Show no ano passado e mostraram algumas músicas novas. Até gravaram um videoclipe na Central 3 com participação do meu cãozinho Rickenbacker. Eu já sabia que vinha algo bom por aí. E está tudo em “Tente Enxergar”. Fica a sugestão deles: “Olhe nos meus olhos, diga o que vê. Deixe a verdade lhe falar”. O reggae, o dub, a soul music, o rap, o rock pesado, o funk, a Ultramen!

Prevejo sucesso nas rádios de verdade, nas web rádios, com certeza! Tem música pra dançar, pra cantar junto, pra se emocionar, pra festa, pra pista, pra mostrar pros amigos. Pra mostrar pra pessoas que a Ultramen está de volta pra nos divertir, nos entreter, nos fazer levantar da cama de manhã, pra colocar “Tente Enxergar” pra começar bem o dia.

Obrigado, amigos. Minha turma gaúcha de super-heróis! Viva Ultramen!

Conheça mais sobre a “Ultramen” nas redes sociais

https://www.instagram.com/bandaultramen
https://twitter.com/ultramenoficial

 

(Fonte: Hearts Bleed Blue)
——————————————-
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Banda americana “Circa Survive” chega ao Rio com sua nova turnê no Teatro Odisséia.

Banda Circa Survive Divulgação
(Foto: Banda Circa Survive – Divulgação)

Após um show em 2015 com ingressos esgotados, um dos maiores nomes do post-hardcore da atualidade volta ao Brasil. A banda americana Circa Survive retorna ao Rio com a turnê do disco “The Amulet”, lançado no ano passado. O show acontecerá no dia 13/09 no Teatro Odisseia, a partir das 19h. Os ingressos já se encontram no quarto lote, disponível para compra online.

“The Amulet” mostra um Circa Survive continuando a ir além de seu som não convencional, provando porque ainda são uma das bandas alternativas mais empolgantes. Liricamente, o disco é alimentado por uma combinação inseparável do pessoal e político, guiado pela voz inconfundível de Anthony Green. Além dele, a banda é formada por Colin Frangicetto, Brendan Ekstrom, Nick Beard e Steve Clifford.

Desde o lançamento de sua estreia em 2005, até hoje, o Circa Survive construiu uma carreira transformando todas as coisas que os tornam difíceis de classificar em suas maiores forças. A palavra “progressivo” é freqüentemente usada para descrever seu som. Depois de 13 anos como uma banda, o grupo conhece bem a ideia de ultrapassar limites sônicos e líricos, mas “The Amulet” ainda mostra uma banda mergulhando mais fundo, se esforçando para criar sons novos e abordando ideias que vão do universal para o mais pessoal.

Em “The Amulet”, o Circa Survive continua esse legado, porém filtrado através da lente única de suas raízes punk e alternativas. Com base no poder bruto do punk e do pós-hardcore, da seriedade do alternativo emocional e da experimentação irrestrita do art rock, a banda cria um som que pode ser comparado a muito poucos, mas que atrai a muitos. A mistura de guitarras intrincadas, baixo potente e uma bateria interligada cria uma base dinâmica para a voz de Green. No entanto, a magia da banda não é apenas habilidade técnica, e sim a capacidade para misturar esse tecnicismo com inegável conhecimento de melodia e ganchos.

O show no Rio de Janeiro é uma produção da MGB Entertainment, responsável por shows de nomes como Thrice e Red Fang na cidade. O evento acontece na casa da música alternativa na Lapa, o Teatro Odisseia. Com programação que abrange vários estilos, o local conta com capacidade para 600 pessoas. O espaço possui dois andares e duas pistas simultâneas, além de um mezanino. O Odisseia fica na Avenida Mem de Sá, nº 66.

Além do show no Rio de Janeiro, a turnê do disco “The Amulet”, tem confirmado mais quatro shows no Brasil: Em Porto Alegre dia 09 de setembro (Bar Ocidente), Belo Horizonte dia 14 de setembro (Autêntica), São Paulo dia 15 de setembro (Fabrique Club) e Curitiba dia 16 de setembro (Basement Cultural). Mais informações no link da Pixelticket. https://pixelticket.com.br/eventos/grupo/1990/circa-survive-tour-brasil

 

Circa-Survive-show-Rio-de-Janeiro

Serviço:
Circa Survive
Data: 13/09/2018 (quinta-feira)
Horário: 18h (Abertura da Casa) / 19h (Início do show)
Local: Teatro Odisséia
Endereço: Av. Mem de Sá, 66 – Lapa – Rio de Janeiro/RJ
Compra antecipada: https://pixelticket.com.br/eventos/1992/circa-survive-no-rio-de-janeiro
Classificação etária: 16 Anos
Preço:
1º lote – R$60 (Meia entrada / Estudante / Promocional*) – ESGOTADO
2º lote – R$80 (Meia entrada / Estudante / Promocional*) – ESGOTADO
3º lote – R$100 (Meia entrada / Estudante / Promocional*) – ESGOTADO
4º lote – R$120 (Meia entrada / Estudante / Promocional*)
*(Promocional para não estudantes doando 1 kilo de alimento não perecível)

______________________________________________________________
Fonte: Nathália Pandeló Corrêa, Assessoria de Imprensa
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

Remate: Banda cearense “Remate” lança seu primeiro EP.

Banda Remate por Jean Ribeiro
(Foto: Banda Remate por Jean Ribeiro)

Reflexões individuais, engajamento social e a energia das relações em um contexto urbano e tecnológico. Esses são alguns dos temas abordados pelo grupo cearense Remate em seu primeiro trabalho autoral, autointitulado, lançado neste mês, nas plataformas de streaming.

Formada em 2017 por Daniel Gadelha (Voz), Álvaro Abreu (Bateria), Jonas Monte (Baixo) e Sérgio Theophilo (Guitarra), a Remate aposta na mistura de suas diversas influências: que vão desde bandas de rock internacionais, como Queens of The Stone Age, Incubus e Deftones, até a poesia engajada nacional de Chico Science, Marcelo Yuka e Chico Buarque. O resultado é um som intenso, que intercala climas atmosféricos com distorções poderosas, aliado a letras fortes, reflexivas e contestadoras. Graças a isso, o quarteto fechou parceria com os selos baianos Brechó Discos, Big Bross Records e São Rock Discos.

“Remate”, o EP, foi gravado e produzido por Matheus Brasil, do Projeto Rivera, no estúdio Salaquar, e possui seis faixas. Seja Como For, que já havia sido apresentada anteriormente ao público, em formato de lyric video, inicia o disco de forma bem direta, com um refrão que fica na cabeça de cara. Sua letra fala sobre liberdade de escolhas e a quebra de padrões sociais impostos: “A música fala sobre o questionamento e a ruptura com esses modelos sociais, comportamentais e de consumo, que escravizam a liberdade do pensamento. Ao renunciarmos um determinado plano, descobrimos um novo horizonte, com novas escolhas”, conta Daniel, que além de vocalista é o principal compositor do grupo.

A energia segue alta com Deixa Estar, que mostra um panorama sobre a cultura das redes sociais, evidenciando a rasa relação humana nesse mundo tecnológico, aliada à falta de empatia, futilidade e a ignorância da não reflexão sobre o coletivo. Para Daniel, “deixar estar não é acomodação, é largar da comodidade da paisagem comum, conviver com os diferentes, mas fincando o pé em sua verdade, sua busca e sua justiça”.

A terceira faixa, Veja, fala de superação. Um apelo sobre olhar para dentro de si: “Apesar do peso e do andamento mais lento, ela traz uma mensagem bem positiva, de que é possível nos recuperarmos mesmo após as diversas dificuldades que a vida nos apresenta”, explica o baterista Álvaro.

Encalço, música mais pesada do disco, parte da famosa provocação que existe em “dar a outra face”. Fala da resistência humana em admitir o erro como uma oportunidade de ressignificação e crescimento, fazendo um diagnóstico dessa resistência. De como ela é responsável pela nossa incapacidade de negar o ciclo vicioso e o “efeito manada” que nos empurra, nos forçando a ser pessoas que não somos.

Espelho traz um tema incomum, porém muito interessante: transporta o ouvinte para a cabeça de um pai, com todas as suas inseguranças e esperanças em relação ao seu filho. É uma visão sobre a evolução da personalidade, da maturidade, e sobre os efeitos da paternidade em uma via de mão dupla entre pai e filho, como num espelho. Um punhado aleatório de sentimentos, bagunçados, recortados e por vezes angustiantes, mas que tem por beleza a incondicional capacidade de serem refeitos e refeitos…

Por fim, O Curso do Rio explora a metáfora do tempo, ao retratar um eu lírico que, ao perceber que seu fim está próximo, analisa toda a sua trajetória, encontrando sua paz no final: “Em ‘Curso do Rio’, falamos sobre a capacidade de enxergar os ciclos da vida, recolher o que sobrou de bom e retornar ao início. Entender o cansaço, a alegria, a força para continuar em movimento e a felicidade de saber que sempre recomeçaremos melhores e mais atentos. O rio foi, é, e ainda será”, afirma Daniel.

Apesar de estreante, a Remate chega ao cenário com certa bagagem, já que todos os seus integrantes já passaram por projetos de destaque na capital cearense, como as bandas Os Ultraleves, Sátiros, Superface e Redoma. Com o disco no ar, o quarteto pretende se firmar no cenário musical, tanto local, quanto nacional.

2018 - Remate - Remate EP

Álbum: Remate (EP)
Lançamento: 10/08/2018
Gravado e Produção: Matheus Brasil, no estúdio Salaquar.
Mixagem e Masterização: Matheus Brasil.
Arte da Capa: Daniel Gadelha e Álvaro Abreu.

Tracklist

01. Seja Como For
02. Deixa Estar
03. Veja
04. Encalço
05. Espelho
06. O Curso do Rio

Ouça o Álbum no Spotify.

Veja o “Lyric video da música “Seja Como For”.
https://canaldorock.com.br/nova-musica-remate-seja-como-for/

Conheça mais sobre a “Remate” nas redes sociais.

https://twitter.com/rematebanda
https://www.instagram.com/rematebanda/
https://www.facebook.com/rematebanda
https://rematebanda.bandcamp.com
https://www.deezer.com/en/artist/102930

____________________________________________

(Fonte: Álvaro Abreu, Músico e Produtor da Remate)
*** Canal do Rock, por Marcelo Vasconcelos. ***

1 5 6 7 8 9 12